PSTU – Paraíba

Primeiro, queremos agradecer os votos que o PSTU recebeu em Vera para presidente da República e em Nascimento para governador da Paraíba, candidatos do PSTU e do Polo Socialista e Revolucionário no primeiro turno das eleições.

Em nosso Estado, os representantes da ultradireita bolsonarista foram derrotados. Porém, nenhum dos dois candidatos que hoje disputam o segundo turno apresentam propostas que poderiam de fato combater o desemprego, a fome e a miséria que afeta a classe trabalhadora. Isso porque ambos são representantes dos patrões e dos ricos.

João Azevedo (PSB) entrega um estado com altos índices de desigualdade social, desemprego e falta de moradia. Tivemos a sexta maior taxa de desemprego do país no primeiro trimestre deste ano, e 53,9 da população% não tem instrução ou tem somente o fundamental incompleto.

João Azevedo fez uma “Reforma da Previdência” no mesmo molde de Bolsonaro, apesar de se dizer “oposição” a este. Posa de “esquerda”, mas de fato não foi capaz de melhorar a vida do trabalhador da Paraíba.

Já Pedro Cunha Lima ( PSDB) pertence a uma família oligárquica do Estado que governou a Paraíba por duas vezes. Tenta posar de novo, mas apesar de dizer que votou a favor da aprovação do novo FUNDEB, esconde que votou a favor das “reformas” trabalhista e previdênciária, e representa o que de se tem mais atrasado em nossa região.

Basta perguntar aos servidores de Campina Grande como é ser governado pelos Cunha Lima. Na luta por reajuste salarial, enfrentaram-se com a truculência, as perseguições e a falta de negociação, além de sucessivos cortes de ponto.

Frente a este cenária, o PSTU chama os trabalhadores e a juventude a votar nulo e não depositar nenhuma esperança e confiança em João Azevedo (PSB) e Pedro Cunha Lima (PSDB), e a construir a luta por emprego, salário, terra e direitos.

Organizar a luta por emprego, salário, terra e direitos

Derrotando Bolsonaro e elegendo Lula, e ganhando quem ganhar aqui na Paraíba, não devemos depositar confiança no governo, e sim fazer avançar a luta e a organização independente da classe trabalhadora para, por meio da mobilização, exigir emprego, salário, terra, moradia e direitos.