Notas sobre a greve (10/07)

Greve chega aos ministérios do Planejamento e da Saúde
Os servidores dos ministérios do Planejamento e da Saúde decidiram, em em assembléia realizada nesta manhã, aderir à greve da categoria. Eles se juntam aos funcionários do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e da Biblioteca Nacional, que estão parados desde o começo da semana.

No IBGE cada vez mais adesões
A greve no IBGE segue firme. Os núcleos de Minas e Santa Catarina decidiram entrar em greve. Ceará, Goiás e Distrito Federal realizam assembléias para decidir.

Servidores xingam Professor Luizinho do PT

Um grupo de servidores foi à Câmara de Deputados protestar contra a reforma durante audiência pública sobre a reforma da Previdência, gritando a palavra-de-ordem “não à reforma.” Durante a audiência, o vice-líder do governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (SP), foi xingado de “traidor, sujo e canalha“.

Assembléia dos Auditores Fiscais da Receita avalia a continuidade da greve

Os Auditores Fiscais realizam assembléias hoje, (10/07) em todo o país, para avaliar os próximos passos da mobilização contra a reforma da Previdência proposta pelo governo. A Assembléia Nacional vai avaliar e decidir se intensifica a mobilização, paralisando por 96 horas na próxima semana ou se adere a paralisação por tempo indeterminado. A outra opção é realizar mais 72 horas de protesto na próxima semana.
Para a Direção Nacional do Unafisco, é essencial que a categoria avalie a força e o ritmo que devemos imprimir ao movimento nesse instante. É importante que unifiquemos nossa luta com as demais categorias de servidores, que já se definiram pela greve por tempo indeterminado e cuja adesão já chega a 50% das bases. Sendo assim, a DEN está encaminhando pela adesão à greve por tempo indeterminado. Embora a luta contra a reforma da Previdência seja de fôlego e de estratégia, o momento é de crescimento.