Município de Itamaraju Foto: Manu Dias/GOVBA

A CSP-Conlutas deu início à uma campanha de solidariedade de classe ativa às famílias vítimas das fortes chuvas que castigam a Bahia neste mês de dezembro. A partir desta terça-feira (28), aqueles que puderem contribuir poderão fazê-lo através do PIX: [email protected]

Todo valor arrecadado será utilizado na compra de itens de acordo com as necessidades das famílias na região de Itabuna entre outras. É muito importante a participação de todos (as).
Em todo o mês de dezembro, as fortes chuvas que castigam o sul da Bahia fizeram com que 72 municípios declarassem estado de emergência.

De acordo com o governo baiano, o número de pessoas desalojadas está próximo de 20 mil. O desastre já é considerado o pior em toda história da Bahia.

São 16 mil pessoas que perderam tudo e precisam urgentemente de abrigo e mantimentos.

O número de feridos é de 286 e a população total atingida chega a 430 mil. O total de mortos pelas enchentes é de 20 pessoas.

A previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) é de que novas precipitações deverão ocorrer até a terça-feira (28), mantendo o alerta para inundações e deslizamentos de terra nas regiões mais afetadas.

Rompimento de barragem

Na noite do sábado (25), houve o rompimento de uma barragem no distrito de Iguá. Apesar da gravidade da situação, os moradores da localidade foram avisados e evacuados. Não houve feridos.

O fato fez com que os municípios de Itambé e Vitória da Conquista também entrassem em estado de alerta, uma vez que o rio que passa pelos municípios receberam todo volume de água que era represada pela barragem.

Tragédia não é apenas natural

Diferentes especialistas em clima e geografia concordam que a gravidade da tragédia no sul da Bahia também tem ligação direta com a transformação ambiental na região. Nas últimas décadas, o processo de desmatamento deixou a região desprotegida dos efeitos das chuvas.

Sem a proteção natural da Mata Atlântica e do Cerrado, a região que possui muitos morros não consegue absorver a água das chuvas. O resultado desta combinação é o assoreamento dos rios e o aumento das enchentes.

Presidente de férias

A situação caótica enfrentada pelo povo baiano não sensibilizou o presidente Jair Bolsonaro que continua de férias. Após uma semana no Guarujá, o chefe do executivo nacional embarcou, nesta segunda-feira (27), para Santa Catarina, onde deverá passar o Ano Novo.

Na semana passada, Bolsonaro ganhou as manchetes ao aparecer em um vídeo dançando funk em uma praia do litoral paulista. Na letra da música, adversários políticos e mulheres eram hostilizadas. Um retrato do abandono vivido pelo brasileiro.

Leia mais

Bahia: Chuvas causam estragos em 116 municípios