LIT-QI: Rechaçamos o brutal ataque em Las Vegas

Rechaçamos o brutal atentado em Las Vegas, que, até agora, causou ao menos 58 mortes e 515 feridos. As imagens de pessoas horrorizadas e buscando refúgio diante da rajada de tiros do atacante impactam o mundo. Solidarizamo-nos com os feridos e familiares de todas as vítimas deste ataque horrendo. É necessário exigir uma investigação rigorosa do caso e a completa assistência e indenização por parte do Estado às vítimas.

O autor do massacre, identificado como Stephen Paddock, disparou indiscriminadamente contra uma multidão que assistia a um show ao ar livre, do alto do edifício de um hotel vizinho. Este crime já constitui a maior matança por arma de fogo da história dos EUA. A de Orlando, em junho de 2016, terminou com 49 mortos e 53 feridos.

O autodenominado Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria do ataque: “o atacante é um de nossos soldados, que se converteu ao Islã há uns meses“, afirmaram. As primeiras investigações apontam se tratar de um “lobo solitário“. No entanto, não podemos descartar que este indivíduo tenha se “inspirado” nos atentados e na metodologia terrorista do EI, que condenamos. De todo modo, o fato põe em relevo o fato de que, a cada ano, morrem cerca de 33 mil pessoas por disparo de armas de fogo nos EUA, isto é, 93 por dia.

O governo Trump tentará capitalizar este ataque covarde, independentemente da elucidação de seus motivos, utilizando-o para reforçar seus ataques econômicos e democráticos contra a classe trabalhadora, sobretudo imigrante, dos EUA. As organizações da classe operária e todo o ativismo social devem estar alertadas e mobilizados contra qualquer medida proveniente do governo em “resposta” ao atentado.

Tradução: Isa Pérez