CSP Conlutas

Neste domingo, dia 24 de janeiro, é celebrado o Dia Nacional dos Aposentados. Se a data sempre foi marcada para reafirmar a luta e as reivindicações por melhores condições de vida, este ano, com a pandemia, isso se faz ainda mais necessário, já que os idosos tem sido os mais afetados em meio à grave crise sanitária e social que atinge o país.

O segmento compõe a maioria das vítimas fatais pela Covid-19 e também está no centro da crise social no país, tendo de enfrentar o arrocho nos benefícios do INSS, alta dos preços dos medicamentos, os ataques à saúde pública, o desemprego nas famílias e o fim do Auxílio Emergencial, que fazem com que os aposentados passem a ser o arrimo das famílias, etc.

Genocídio com a Covid

Levantamento do site Poder360 demonstra que os idosos são a maioria das vítimas da Covid-19 desde o início da pandemia.  Este grupo correspondia a 69,2% dos mortos no país até maio do ano passado. Agora, correspondem a 74% do total de mortos pela pandemia, mesmo sendo as pessoas com mais de 60 anos apenas 13,6% da população. São mais de 120 mil mortos nessa faixa etária.

A idade é um dos fatores de risco para a mortalidade e casos graves da Covid-19, entretanto, as condições sociais deste segmento, cada vez mais empobrecido e vulnerável, também influenciam.

Nos últimos oito anos, o número de domicílios chefiados por pessoas com mais de 60 anos aumentou 34% (o número total de domicílio cresceu bem menos, 19%, no período). De acordo com estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), 35% dos domicílios têm pelo menos um idoso. Em 18,1% deles, os idosos são os únicos provedores da renda.

A morte de pessoas nessa situação pode resultar na queda média de 20% da renda dos domicílios. “Em alguns casos, essa perda pode chegar a 100%, já que o idoso era o único provedor da casa”, segundo a autora do estudo do Ipea, Ana Amélia Camarano.

Estudos também revelam que a pandemia não só aumentou os riscos à saúde desta população, mas também os riscos de violência, negligência e outros abusos. De março a junho de 2020, o número de denúncias de violência e de maus tratos contra os idosos cresceu 59% no Brasil.

Ataques de Bolsonaro e falta de vacina

Apesar dessa realidade, idosos têm sido alvo de ataques e declarações absurdas de Bolsonaro.

Quem não lembra as declarações do presidente de ultradireita minimizando a gravidade da morte de pessoas com mais idade: “Infelizmente, algumas mortes terão, paciência, acontece, e vamos tocar o barco”, disse em março durante uma entrevista ao jornalista José Luiz Datena. “Vão morrer alguns [idosos e pessoas mais vulneráveis] pelo vírus? Sim, vão morrer. Se tiver um com deficiência, pegou no contrapé, eu lamento”, disse ao apresentador Ratinho.

O início da vacinação no país, contudo, não aponta uma solução para os idosos, já que em razão do descaso e graves problemas de gestão por parte do Ministério da Saúde, não há doses suficientes para imunizar sequer a população idosa. O primeiro grupo que vem sendo vacinado são os idosos que vivem em instituições de longa permanência, ainda assim com dificuldades.

A reforma da Previdência, também aprovada pelo governo no ano passado, além de deixar o direito à aposentadoria algo quase inatingível para uma ampla parcela dos trabalhadores, atacou as viúvas e viúvos, que passaram a sofrer um corte de até 40% em suas pensões.

Em meio à pandemia, o governo excluiu os aposentados do pagamento do Auxílio Emergencial na pandemia. Apenas antecipou o 13° salário no início de 2020, o que deixou esses idosos sem nenhuma remuneração extra no final do ano.

Um dia de luta

Como se pode ver, motivos para ir à luta e exigir a defesa da vida da população idosa e os direitos dos aposentados não faltam. Por isso, este dia 24 de janeiro, Dia Nacional de Luta dos Aposentados, é de denúncia e luta.

A data, inclusive, integra o calendário de luta aprovado por organizações e movimentos.

Vamos levantar as bandeiras:

– Vacinação para todas e todos, já!
– Defesa dos SUS!
– Pela volta do auxílio emergencial e 14° salário aos aposentados
– Retorno das aulas presenciais somente após a vacinação
– Fora Bolsonaro e Mourão!

A Admap (Associação Democrática dos Aposentados e Pensionistas do Vale do Paraíba), filiada à CSP-Conlutas, realizou uma live nesta sexta-feira para marcar o Dia Nacional de Luta dos Aposentados e debater sobre a situação da categoria, a vacinação contra a Covid-19, a defesa do SUS, entre outros temas. Confira:  https://fb.watch/3axz6Ing2E/