Conlutas e sindicatos filiados promovem ato contra tropas no Haiti em Caçapava (SP)

Manifestação será amanhã (sexta-feira, dia 10) na Praça da Bandeira, em CaçapavaA Conlutas (Coordenação Nacional de Lutas) e seus sindicatos filiados promovem nesta sexta-feira (dia 10), a partir das 10h, na Praça da Bandeira, em Caçapava, um ato pela retirada das tropas brasileiras do Haiti.

O evento abre oficialmente a Jornada de Lutas Antiimperialista, que acontecerá de 10 a 18 de outubro. A semana de lutas foi definida no 1º Congresso da Conlutas e Encontro Latino-Americano dos Trabalhadores (Elac), realizados em julho.

As mobilizações acontecerão simultaneamente em várias cidades do Brasil e em outros países latino-americanos, como Argentina, Bolívia e Paraguai.

Caçapava foi escolhida por abrigar uma das unidades do Exército brasileiro que enviou soldados para a missão no Haiti.

O objetivo do protesto é evitar que a Missão de Paz da ONU (Organização das Nações Unidas), liderada pelo Brasil, não seja renovada. O prazo de permanência das tropas internacionais no Haiti se esgota em outubro.

Desrespeito aos Direitos Humanos
Em visita ao Brasil em agosto, o dirigente da central sindical Bataille Ovrière, do Haiti, Didier Dominique, denunciou o desrespeito aos Direitos Humanos praticado pelas tropas da ONU e articular apoios para a retirada da chamada “força de paz” do território haitiano.

Acompanhado de dirigentes da Conlutas, Dominique entregou um dossiê com graves relatos à Comissão de Direitos Humanos da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), em Brasília.

Na ocasião, a OAB se comprometeu a elaborar um relatório para ser encaminhado ao Senado, com base nos fatos descritos por Dominique, sugerindo uma ação e a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti.