Entre abril e maio, o Comboio Operário da Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Lutas para a Ucrânia fortalecerá a resistência de classe no país contra a invasão russa.

A iniciativa tem como objetivo levar nosso apoio de classe adiante, de maneira mais próxima e concreta, com representações das entidades que compõem a Rede, dentre elas, a CSP-Conlutas.

Ainda não há data exata, mas a ideia é aproveitar a presença de militantes de diversos países reunidos na 4ª Reunião da Rede , em Dijon, na França, e seguir rumo à Ucrânia em torno dos dias 25 e 27 de abril, com regresso previsto para oito ou dez dias depois, por volta de 1º de maio.

A decisão pelo envio de uma delegação internacional ao país foi firmada ao longo de muitas conversas com sindicatos e ativistas da Ucrânia, Rússia e Belarus, e só é possível porque diversas organizações que fazem parte da Rede têm se envolvido ativamente na defesa da Ucrânia contra a invasão russa desde o início dos ataques, em 24 de fevereiro.

A solidariedade ativa é necessária

Enquanto Central Sindical e Popular e cofundadora da Rede, nos somamos ao Comboio Operário acreditando que devemos encampar a luta de classe internacionalista, apoiando trabalhadoras e trabalhadores que enfrentam a dura ofensiva militar de Putin.

Em conversas com militantes sindicalistas ucranianos e de países próximos, muito foi tratado sobre as dificuldades de logística neste período duro de enfrentamento ao exército russo e estivemos atentos para ouvir quais são as necessidades mais urgentes de quem ficou no país por escolha ou pela imposição da guerra.

Conforme relatos de quem permanece na Ucrânia, itens de urgência são para adultos, mas muito é necessário para pessoas de outra faixa etária, como comida para bebês e brinquedos.

Muitas mulheres permanecem no país porque decidiram não abandonar seus companheiros ou cuidam de pessoas de idade ou filhos que ficaram. São mães, irmãs ou filhas, que sobrevivem com dificuldade em condições de escassez na distribuição de comida, medicamentos, água, energia e gás.

E é neste contexto alarmante que precisamos ir além e afirmar a solidariedade com a classe trabalhadora, gente como a gente, que com poucos recursos busca manter a resistência firme contra os invasores.

Como apoiar financeiramente

A central sindical francesa Solidaires, outra das cofundadora da Rede, financiará a logística de donativos, que será comprados de acordo com a orientação da necessidade da classe operária ucraniana.

Dentro do país, o comboio encontrará pessoalmente os contatos sindicais e as ações serão organizadas da melhor maneira.

A transferência pode ser feita diretamente à Solidaires, com os dados abaixo:

FR12 2004 1000 0127 9649 6A02 006 – PSSTFRPPPAR. Centro Financeiro La Banque postale Paris

Os valores recebidos serão relatados, bem como todo o trabalho que for executado pelo Comboio Operário.

Nossas bandeiras

  • Pela derrota militar de Putin na Ucrânia! Apoio à resistência armada e desarmada do povo ucraniano!
  • Pela autodeterminação do povo ucraniano e por uma Ucrânia livre das garras da Rússia, da OTAN e dos imperialistas estadunidenses e europeus! Por uma Ucrânia livre e soberana para a classe trabalhadora!
  • Fim da OTAN. Fora tropas e bases dos EUA nos países da Europa Ocidental e Oriental! Contra a ameaça nuclear! Defendemos o desarmamento nuclear em todo o mundo!
  • Solidariedade internacional com movimento antiguerra e pró-democracia na Rússia! Liberdade aos presos políticos antiguerra na Rússia!
  • Fim das dívidas externas e das garras do FMI!
  • Para uma recepção não discriminatória de todos os refugiados da Ucrânia e de outros lugares da África e da Ásia que também sofrem com conflitos criados pelos países imperialistas!