José Batista Neto, operário da construção civil de Fortaleza (CE), militante do PSTU, da CSP-CONLUTAS e do Coletivo Juntos e Misturados

No dia de ontem, encerraram-se as inscrições de chapa para as eleições do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Fortaleza e se confirmou a inscrição de duas chapas. A Chapa 1, composta pela atual direção do Sindicato que tem à frente operários que militam e reivindicam a corrente interna do PSOL, a Resistência (que atuam na CSP-CONLUTAS), em composição com operários que militam no PCB e, sindicalmente, reivindicam a corrente Unidade Classista, corrente essa que não constrói a CSP-CONLUTAS. A outra é a nossa chapa, a Chapa 2, composta majoritariamente por nós, operários militantes do PSTU e da CSP-CONLUTAS, juntamente com operários que estão organizados na DS, corrente interna do PT e da CUT.

Até o último dia da inscrição de chapas, nós lutamos intensa e honestamente por uma chapa única nessas eleições.  Mesmo conhecendo e respeitando as diferenças entre os agrupamentos, fizemos diversas reuniões com a direção de todas as correntes, levamos e aprovamos na base essa política, em inúmeros canteiros de obras, pois não temos dúvida de ser esse o melhor caminho para as lutas da categoria, nesse momento. Infelizmente, isso não foi possível pela intransigência do Nestor, do Roberto e de toda a atual diretoria do nosso sindicato.

Lamentamos, sinceramente, que a Resistência e o PCB mantenham essa postura com o objetivo de tentar excluir o PSTU e todos os nossos combativos companheiros e companheiras do Juntos e Misturados da direção das lutas de da nossa entidade. Frente a essa situação, nossa tarefa agora é fazer a campanha de nossa chapa, a Chapa 2, e levar a categoria até a vitória para resgatarmos, com unidade, a nossa tradição de luta.

Estamos inscritos: agora é Chapa 2!

A unidade mais ampla possível na direção da entidade, nesse momento, fortaleceria a categoria em nossa campanha salarial, contra a patronal, em defesa dos direitos e do emprego, pela vacinação em massa para defender a vida e para botar para fora o governo Bolsonaro e Mourão, já. Mas, como dissemos, os companheiros da atual diretoria, infelizmente, optaram pela divisão.

Sendo nossa corrente, o PSTU, parte viva e ativa do nascedouro da tradição de luta de nossa categoria no Estado do Ceará e, considerando o cenário atual, nós, que lutamos pela unidade, agora lançamos nossa Chapa 2, com todas as forças. Acreditamos que ela veio pra vencer essas eleições, pois se trata uma necessidade para o fortalecimento das lutas da classe trabalhadora brasileira e de dar passos importantes no sentido da unidade, como se expressa os anseios de nossa categoria em cada canteiro de obras.

Finalmente , e não menos importante, informamos que, como parte da construção de nossa chapa, já sindicalizamos dezenas de operários e queremos chegar a centenas de novos associados para que o processo das eleições sirva para o fortalecimento orgânico do sindicato e alimente a máxima participação da categoria no exercício da democracia operária. É em defesa desses princípios e contra qualquer prática burocrática ou excludente no movimento operário que muitos de nós nos dedicamos, militamos e, muitas vezes, lutamos pela construção de alternativas de direção para as entidades de nossa classe. Afinal, atitudes desse tipo não devem, não podem e não serão tolerada por uma categoria que tanto nos orgulha com sua história de combate e de exercício da democracia operária.
A Chapa 2 seguirá firme em defesa da unidade, da democracia operária e da libertação de nossa classe da exploração e da opressão imposta pelo capitalismo.

Até a vitória, companheiros! É nós, Juntos e Misturados!

– Por uma forte e unitária campanha salarial!
– Por emprego, direitos e a volta do auxílio-emergencial;
– Vacinação em massa para salvar as vidas;
– Fora Bolsonaro e Mourão, já;