Assembleias na GM aprovam doações aos trabalhadores do Haiti

Em assembleias nos dois turnos, metalúrgicos aprovam desconto de 1% no salárioNuma grande demonstração de solidariedade, os trabalhadores da General Motors de São José dos Campos aprovaram, em assembléias no primeiro e segundo turno, nesta quinta-feira, dia 11, a doação de 1% de seus salários para o povo haitiano. Serão arrecadados, somente na montadora, cerca de R$ 300 mil. A doação será descontada, uma única vez, direto em folha de pagamento.

A doação será feita por todos os funcionários das fábricas onde houver aprovação, inclusive pessoal administrativo. Na GM, há 8.073 horistas, que recebem R$ 3.332, em média. Também há 427 mensalistas, com salários mais altos.

10 mil doações
Nestes primeiros dias da Campanha de Solidariedade ao Povo Haitiano, organizada pelo sindicato e pela Conlutas, trabalhadores de sete fábricas já aprovaram a doação – o que representa 11 mil trabalhadores e cerca de R$ 380 mil. Todo o dinheiro arrecadado será enviado à central sindical e popular do Haiti, Batay Ouvriey (Batalha Operária).

“Este dinheiro será entregue direto nas mãos dos trabalhadores. Não vamos entregar nada às tropas militares ou ao governo. Esta é uma solidariedade de classe para ajudar o povo haitiano a se reorganizar e a reconstruir uma nação livre, sem ocupação imperialista”, afirma o presidente do Sindicato, Vivaldo Moreira Araújo.

Além da GM, a campanha já teve a adesão de metalúrgicos da Hitachi, Bundy, Heatcraft, Trelleborg, Sobraer e Gerdau. O Sindicato possui em sua base cerca de 40 mil trabalhadores, em empresas nas cidades de São José, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá.

A arrecadação feita na base de São José dos Campos vai se somar à campanha nacional da Conlutas, que já enviou R$ 104 mil ao Haiti.

LEIA TAMBÉM

  • ‘Nossa ajuda é diferente da das empresas’

    LEIA TAMBÉM:

  • Assembleias na GM aprovam doação ao Haiti