Em Fortaleza, operários da construção civil paralisam na quinta (2)

51
Manifestação dos trabalhadores da construção civil de Fortaleza

As trabalhadoras e trabalhadores da indústria da construção civil de Fortaleza, em campanha salarial desde o início do ano, preparam-se agora para uma grande paralisação da categoria que acontecerá na manhã de quinta-feira, 2 de maio. A atividade tem por objetivo exigir da patronal a retomada das negociações para o fechamento da Convenção Coletiva de Trabalho do setor para o ano de 2013.

"Há duas semanas, milhares de trabalhadoras e trabalhadores da construção civil foram às ruas de Fortaleza dizer à população que não têm acordo com a proposta de ajuste salarial feita pela patronal e, principalmente, repudiar a sua saída das rodadas de negociação. Enquanto esta questão não for resolvida, nós iremos manter as mobilizações", disse Nestor Bezerra, diretor do sindicato dos trabalhadores, filiado à CSP Conlutas (Central Sindical e Popular).

Enquanto a proposta inicial apresentada pelos trabalhadores foi de 20% e, aos poucos, chegou a 12,5%, os empresários mostraram intransigência em modificar a proposta de 7% apresentada inicialmente, tendo aumentando somente meio por cento até a saída das negociações. Na assembleia após a passeata do dia 18 de abril, além de rejeitar tal proposta, os trabalhadores aprovaram também o fim da hora extra e do trabalho aos sábados.

Vereador pelo PSTU em Belém, Cléber Rabelo, esteve presente na grande passeata realizada na capital cearense e emocionou a muitos em sua manifestação de solidariedade. Na ocasião, relatou toda repressão vivida pelos trabalhadores grevistas em Belo Monte, questionou o silêncio dos parlamentares de Fortaleza em relação à situação dos operários e fez um chamado à organização: "Os trabalhadores da construção civil de Fortaleza precisam estar organizados em uma ferramenta política que impulsione suas lutas, que esteja ao seu lado nos principais enfrentamentos que ainda estão por vir. Por isso, eu quero aqui fazer um chamado: venha conhecer o PSTU e fortalecer esta importante ferramenta de luta da classe trabalhadora".

O PSTU, a CSP Conlutas e o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de Fortaleza seguem em mobilização e convocam os trabalhadores de diversas categorias a fortalecerem a luta dos operários do setor que, em paralisação no dia 2 de maio, devem organizar outra grande passeata pelas ruas de Fortaleza. A expectativa é de que, ao todo, participem cinco mil pessoas.