Trabalhadores dos transportes de São Paulo e região aprovam greve dia 19 contra reforma

Plenária dos transportes de SP e região aprova paralisação dia 19. Foto Roberto Parizotti/CUT

Plenária dos trabalhadores do setor de transportes da cidade de São Paulo, região metropolitana e várias outras cidades, realizada nesta segunda-feira, 11, decidiu pela paralisação no próximo dia 19 caso o governo coloque em votação a proposta de reforma da Previdência.

O dia 19, terça-feira, vem sendo apontado como a data mais provável de votação da reforma da Previdência na Câmara.

Participaram da plenária representantes da CSP-Conlutas e de todas as principais centrais. Além dos metroviários e dos condutores da capital, estiveram presentes ainda condutores do ABC, Osasco, Guarulhos, e também da baixada santista, Vale do Paraíba e Sorocaba.

Houve muitas falas contra essa reforma do governo Temer e uma compreensão geral que não podemos aceitar isso de forma alguma“, relata o presidente da Fenametro (Federação Nacional dos Metroviários), Celso Borba. A plenária aprovou a indicação de greve na terça que será levada para a reunião das centrais que será realizada no próximo dia 14. No mesmo dia, os metroviários da capital fazem assembleia para bater o martelo na participação da Greve Geral.

Os metroviários do Brasil inteiro já tinha definido participar com força da Greve Geral, vamos enviar uma carta conjunta às centrais incorporando o dia 19 e a indicação é paralisar o metrô nesse dia, dia 19 São Paulo vai amanhecer sem transporte“, completa Celso. Os trabalhadores dos transportes decidiram também procurar os demais setores e categorias para a paralisação nesse dia.

Não vamos dar nenhuma trégua a esse governo e Congresso corruptos, se botar a reforma para votar, o Brasil vai parar“, reafirma Celso Borba.