Em greve desde o dia 17 de agosto, trabalhadores dos Correios realizaram hoje, dia 8, um ato unificado em São Paulo. A mobilização foi organizada pelos sete sindicatos existente no Estado. Trabalhadores de diversas cidades paulistas se uniram na capital, como forma de fortalecer a greve, em defesa dos direitos e contra a privatização dos Correios.

Centenas de ecetistas protestaram em frente ao CTP Jaguaré. Greve nacional unificada da categoria chega hoje ao 22º dia

O ato reuniu centenas de ecetistas em frente ao Centro de Tratamento Principal (CTP) do Jaguaré. “A nossa greve nacional unificada chega hoje ao 22º dia. Este ato unitário de todos os Sindicatos do Estado de São Paulo é muito importante para o fortalecimento da nossa luta. Não podemos aceitar a retirada dos nossos direitos como pretende o governo genocida de Bolsonaro e direção da empresa, comandada pelo general Peixoto. A ordem é intensificar a luta e fortalecer a greve”, afirma Geraldinho Rodrigues, da Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Fentect) e militante do PSTU.

Ecetistas de São José do Rio Preto participam do ato unificado, em frente ao CPT Jaguaré, em São Paulo no 22º dia de greve

Unidade

O ato contou com a presença de várias centrais sindicais, o militante do PSTU, Atnágoras Lopes, falou em nome da CSP Conlutas. “Os trabalhadores dos Correios estão realizando uma greve histórica, que representa um enfrentamento à política privatista de Bolsonaro, Mourão e Guedes. Temos que seguir a luta em defesa dos Correios público, estatal, e em defesa dos direitos da categoria”, destaca Atnágoras.

O dirigente da CSP Conlutas também defendeu a construção de um dia nacional de paralisações em defesa dos direitos e em apoio à greve dos trabalhadores dos Correios. “É responsabilidade das demais centrais sindicais aqui presente a construção de um dia nacional de greves e paralisações para enfrentar os ataques do governo Bolsonaro e, também, para apoiar e fortalecer a greve nacional dos trabalhadores dos Correios. Esse desafio nós da CSP Conlutas fazemos às demais centrais”, afirma Atnágoras.

Calendário de Lutas

A Fentect aprovou um calendário unificado de mobilização para o fortalecimento e ampliação da greve.

“O ataque ilegal aos salários dos trabalhadores é uma pressão que os patrões fazem para tentar enfraquecer a luta dos trabalhadores, porém, não vão conseguir com a nossa categoria. Neste momento, os trabalhadores devem se manter firmes na greve para que possamos sair vitoriosos dessa batalha em defesa dos nossos direitos e dos nossos empregos”, diz o comunicado emitido pela Federação.

“Neste sentido, conclamamos toda a categoria a se manter firme na greve! E você, que ainda não saiu para a greve, tem que fazê-lo imediatamente, pois o sustento da sua família é sua responsabilidade. Não recuem neste momento, pois só a luta conjunta da categoria pode barrar os ataques do Governo Federal contra os trabalhadores dos Correios”, finaliza a nota.

09/09 – Atos regionais / Piquetes de convencimento nos setores que ainda não estão parados;

10/09 – Piquetes de convencimento / Participação no Seminário realizado pela CONFETAM;

11/09 – Ato nacional unificado.