Trabalhadores da LG de Taubaté (SP) se rebelam contra o sindicato e a empresa

Na manhã desta quinta-feira, 4, os 2.400 trabalhadores da fábrica de eletrônicos LG de Taubaté (SP) se rebelaram contra o acordo feito entre o Sindicato dos Metalúrgicos, a CUT e a direção da empresa.

Os trabalhadores estão em greve desde o dia 29 de janeiro. Eles reivindicam correção nos salários de acordo com o plano de cargos e salários para 100% dos trabalhadores, fim do assedio moral, recontratação de gestantes demitidas, fim da rotatividade de mão-de-obra e fim dos desvios de função.

O acordo
Na terça, no Tribunal Regional do Trabalho, o sindicato cutista e a direção da empresa fecharam um acordo em que apenas 85% dos trabalhadores do primeiro grau na produção e 70% do segundo teriam aumento. Também foi combinado que não haveria perseguição aos grevistas.

As outras reivindicações continuariam a ser negociadas entre as partes, desde que a greve fosse encerrada até as 8h30 desta quinta, com a aceitação ou não pelos trabalhadores.

A rebelião
Às 7h05, seguindo a convocação do sindicato e da empresa, o pátio em frente à fabrica, às margens da Via Dutra, estava tomada pelos trabalhadores dos três turnos. Mesmo com o sindicato defendendo o acordo, a ampla maioria recusou a proposta e a volta ao trabalho.

A Conlutas de Taubaté se solidarizou com os trabalhadores e trabalhadoras da LG por esta corajosa ação e se colocou à disposição para apoiar e ajudar na de luta por suas reivindicações.