Nessa terça-feira (1°), a Prefeitura de Belo Horizonte deu início ao processo de vacinação contra a Covid-19 para professores. Sem dúvida nenhuma, a antecipação da vacinação dos trabalhadores em educação em Belo Horizonte foi uma vitória importante da greve capitaneada pelas trabalhadoras da Ed. Infantil. Uma greve que enfrenta na cidade o negacionismo de Bolsonaro, também adotado por Kalil no que se refere à educação.

As falas da secretária de Educação de Belo Horizonte, Ângela Dalben, indicando que adulto que se cuida não pega COVID 19, foram criminosas. Enquanto isso, Kalil manteve a promessa e cortou o salário das professoras grevistas, uma clara punição por terem lutado e dito não à sua política. Essa foi uma clara demonstração de que a prefeitura não se importa com a vida de nossas crianças.

Essa greve está cumprindo um papel fundamental. Mostrou a necessidade de agirmos diante da indiferença dos governantes. Só assim é que vamos garantir o nosso direito à vida. Por isso mesmo, essas trabalhadoras devem ser cercadas de solidariedade.

A greve, até o momento, garantiu uma baixa presença de estudantes nas escolas. Menos de 25% das famílias enviaram seus filhos e foi isso que impediu mais mortes, o caos e o sofrimento de muitos trabalhadores.

Sabemos que a vacinação dos trabalhadores em educação, apesar de ser uma conquista importante, será também uma pressão pela ampliação da reabertura das escolas. Por si só, a vacina não torna as escolas seguras. A luta pelo isolamento social, pela ampla vacinação da população permanece sendo uma necessidade.

Uma batalha que precisa ser encampada por todos os trabalhadores e com métodos mais firmes. Os atos do dia 29 foram um passo muito importante, mas é preciso ir além. A greve sanitária necessita ser adotada por outras categorias profissionais, não pode ser uma ação específica da educação. E a movimentação para que as escolas fiquem fechadas também precisa ser incorporada por toda a comunidade escolar, pois se não for ampla e unitária, não será vitoriosa.

Pelo pagamento dos salários das trabalhadoras da Educação Infantil em GREVE!

Não à reabertura das escolas em Belo Horizonte!

Por uma GREVE GERAL Sanitária para preservar nossas vidas!

Vacinação ampla e geral da população!

Quebra das patentes para garantir vacinação!