Servidores paulistas fazem ato na Assembléia para barrar reforma da Previdência estadual

Na quarta-feira, dia 23, o governo Serra, em São Paulo (SP), tentou aprovar o SP-Prev, projeto de reforma da Previdência que atinge o funcionalismo estadual. O ato unificado que acontecia na avenida Paulista marchou até a Assembléia Legislativa para protestar e tentar impedir a votação.

Houve uma forte resistência, amplamente divulgada pela imprensa e reprimida pela tropa de choque. A tropa de choque da Polícia Militar reprimiu o protesto, impedindo a entrada dos manifestantes no plenário para acompanhar a votação. Vale lembrar que, teoricamente, as sessões são abertas.

O protesto, entretanto, fez com que a votação não pudesse se concretizar. O projeto foi debatido pelos parlamentares até a madrugada, vencendo sete horas das doze previstas poder colocar em votação, e foi adiado para o dia seguinte, quinta-feira.

O projeto é um ataque aos servidores, que exigem a sua retirada. Em harmonia com a reforma da Previdência de lula, o SP-Prev acaba com a Previdência estadual dos servidores e institui um fundo de pensão.

A Oposição Alternativa da Apeoesp está chamando todos e todas a estar na Alesp nesta quinta-feira, a partir das 15h, para impedir mais esse ataque do governo Serra.