Servidores federais farão greve a partir do dia 2 de junho

A Plenária da Confederação Nacional dos Servidores Públicos Federais, a Condsef, realizada no dia 21 de maio em Brasília, aprovou greve por tempo indeterminado a partir do dia 2 de junho. A plenária contou com a presença de 142 delegados representando 20 estados.

Os servidores definiram o reajuste emergencial de 18% e a adoção de uma política de recomposição das perdas desde janeiro de 95 como os principais eixos da campanha, sem deixar de lado as reivindicações específicas, como a implementação das Diretrizes de Planos de Carreiras. A plenária aprovou ainda a realização de uma Marcha à Brasília com acampamento durante a greve.

Plenária Nacional dos Servidores Públicos também aprova greve
A plenária unificada dos servidores públicos, realizada no dia 22 de maio também em Brasília, aprovou o apoio da CNESF (Coordenação Nacional dos Servidores Públicos Federais) à greve da Condsef e da Fenasps (Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social), que também será deflagrada no dia 2 de junho.

A plenária deliberou ainda construir a greve unificada da categoria pelas demais entidades nacionais durante o mês de junho.

Confira abaixo as principais reivindicações dos servidores:

  • 18% emergencial como antecipação da recomposição das perdas
  • Definição de uma política salarial com correção das distorções e recomposição das perdas acumuladas de janeiro de 1995 a dezembro de 2004.
  • Piso salarial de acordo com o salário mínimo do DIEESE.
  • Diretrizes de Plano de Carreira
  • Abertura de concurso público
  • Paridade entre ativos, aposentados e pensionistas.