São Paulo também protesta contra os três anos de ocupação do Iraque

O protesto contra os três anos de ocupação do Iraque, na capital paulista, reuniu em torno de 500 manifestantes, que se concentraram no vão do Masp a partir das 14h no dia 18 de março, saindo em passeata pela Avenida Paulista. O ato foi chamado por entidades, partidos e movimentos sociais, tais como Conlutas, Conlute, MST, Marcha Mundial de Mulheres, movimento sem-teto, Ujaal (União da Juventude Árabe para América Latina), PSTU, PSOL, PCB, PCO. Nenhuma bandeira, adesivo ou faixa da CUT pôde ser visto durante todo o protesto.

`WladimirA passeata parou no BankBoston, na Fiesp e no Citibank, onde o protesto teve encerramento. Em frente do BankBoston, a Marcha Mundial das Mulheres fez uma mística, por volta das 16 horas. No encerramento, em frente ao Citibank, foram queimados uma bandeira dos EUA, cartazes de Bush e uma bandeira do Citibank.
Dirceu Travesso falou em nome do PSTU, saudando a resistência iraquiana e os protestos da juventude francesa. “A luta antiimperialista é o que transformou Paris de fato na cidade luz, mas é a luz das chamas da resistência. Uma manifestação antiimperialista que se preze tem que chamar não só Fora Bush do Iraque, mas também a solidariedade à luta da juventude na França, Fora as tropas de Lula do Haiti, solidariedade às companheiras do MST do Rio Grande do Sul que ocuparam o laboratório”, afirmou Didi. Ao final, Dirceu fez um chamado em nome do partido a uma Frente Classista, Socialista e de Luta para as eleições de 2006 e os ativistas do partido presentes cantaram: “A nossa luta é todo dia/ Frente classista pra enfrentar a burguesia!”.

Mohamed, representante da União da Juventude Arábe para a América Latina (Ujaal), ressaltou que a luta dos palestinos é a mesma luta do MST brasileiro. “Queremos o fim de Israel e uma Palestina onde possam conviver judeus, muçulmanos, cristãos, ateus, e todos que defendem a liberdade”, disse ele.

Mesmo sob a chuva incessante, os manifestantes cantaram diversos refrões, como “Fora já, fora já daqui/ Bush do Iraque e Lula do Haiti”; “Dívida externa é um ataque/ que financia o imperialismo no Iraque”; “Chega, chega, chega de rapina/ Viva a resistência iraquiana e palestina” e “Olé Olé Olé Olá/ Contra a Alca e o capital, a nossa luta é internacional”.