Rogério Lins, prefeito de Osasco (SP), sobe o preço das passagens de ônibus da cidade

Doria e Rogério Lins, prefeitos de Osasco

Bruno Letta e Victoria Manuela

Sem aviso à população e usuário, no dia 5 de janeiro, o prefeito de Osasco baixou um decreto aumentando a passagem de ônibus de R$ 4,20 para R$ 4,35. Rogério Lins (PODEMOS) que por muito pouco não assumiu o mandato por ter ficado foragido e depois preso por mais de 900 crimes de estelionato, justificou o reajuste com base no aumento geral do diesel e que o mesmo ficou abaixo da inflação. Mas este aumento é um absurdo e prejudica estudantes e trabalhadores.

Muito aquém do esperado pela população que paga seus pesados impostos e depende do transporte público para chegar às escolas e locais de trabalho, a frota de ônibus na cidade é inferior à demanda e, consequentemente, possui longas filas nos pontos e superlotação. Se comparado com o transporte público da cidade de São Paulo, que também é absurdamente caro, em Osasco existe ainda um agravante, as viagens são mais curtas.

Sem sombra de dúvida esse aumento não vai ser repassado nos salários de motoristas e cobradores, mas será destinado aos cofres dos empresários que monopolizam esse setor há muito tempo, fazendo fortuna com a exclusão e o direito ao transporte que todos merecem.

Rogério Lins que provavelmente nunca precisou andar de ônibus na vida, segue a tradicional cartilha dos prefeitos da cidade. Desde os oito anos de mandato do Celso Giglio do PSDB, passando por Emídio de Souza  e Jorge Lapas do PT com 12 anos de mandato, todo começo de ano os tubarões do transporte são agraciados com o reajuste pelos prefeitos que tiveram suas campanhas financiadas pelas empresas de ônibus.

Passam-se os anos, governos e partidos, mas as promessas são as mesmas. Todos os ex-prefeitos como o atual prometeram a integração do transporte rodoviário municipal com os trens da CPTM, no entanto, o que vemos é o aprofundamento da lógica mercadoria no transporte onde o lucro está acima dos direitos básicos.

Fora Rogério Lins! Fora Temer! Fora Todos Eles!
Enquanto trabalhadores e estudantes são submetidos ao sucateamento do transporte público, superlotação dos ônibus e trens e pouca frota de ônibus, os grandes empresários junto com os pilantras do Congresso se mexem para cada vez mais tirarem de quem menos tem. Exemplo disso é a reforma eleitoral que vai tirar pelo menos meio bilhão da saúde e educação para financiar campanhas eleitorais, a reforma da Previdência que vai dificultar ainda mais a aposentadoria dos mais pobres, a reforma trabalhista que é um ataque aos direitos históricos do trabalhador. Também não podemos esquecer que o prefeito de Osasco desviou dos cofres públicos mais de R$ 20 milhões contratando funcionários fantasmas.

Uma coisa é certa: dentro desse sistema que funciona somente para gerar lucro e não atender as necessidades humanas, os trabalhadores sempre vão viver numa maré de incertezas. Isso porque os de cima são capazes de qualquer coisa para se manter lá! Eles nos vendem carne podre, nos deixam esperando nas filas enormes dos hospitais públicos, somos obrigados a matricular nossos filhos em escolas caindo aos pedaços, a pegar transporte de má qualidade e superlotado, tudo isso enquanto eles realizam diversos ataques aos nossos direitos, cortes de orçamentos, desvio de dinheiro e tudo isso com uma única finalidade: garantir o lucro dos grandes empresários.

Nenhum desses nos representa. Por uma sociedade aonde os trabalhadores governem!

Organizar os de baixo para derrubar os de cima!

Trabalhadores e estudantes estão se mobilizando contra os aumentos das passagens
Em Teresina, trabalhadores e estudantes foram as ruas no último dia 0 contra o aumento da tarifa nos transporte público decretado pelo prefeito Firmino Filho (PSDB), em Goiânia também teve ato e foi no dia 10,  São Paulo teve um ato dia 11 contra o aumento decretado pelo prefeito playboy João Dória e o governador Geraldo Alckmin , em outras cidades como Florianópolis, Barueri, Campinas, Mogi, Santos, Sorocaba, Londrina, São José dos Campos, Jardinópolis, Recife e Marica também estão se organizando contra os aumentos abusivos.

É por isso que nós do PSTU compomos junto com outros partidos de esquerda e coletivos a Frente de Luta pelo Transporte em Osasco, que está convocando todos e todas para um grande ato no dia 15 de janeiro às 16h na frente da estação da CPTM de Osasco. Vamos tomar as ruas e impedir esse aumento com muita luta, levantando barricadas, ocupando prédios públicos e apontando uma saída socialista para a crise dos transportes.

Qual é a saída?
Defendemos a redução da tarifa rumo à tarifa zero; Passe-livre para todos, incluindo estudantes e desempregados, sem limite de viagens, estatização do transporte coletivo sob o controle dos trabalhadores, mais investimentos em metrô, trens e ônibus, e que o transporte seja uma das prioridades. Este investimento terá que ser feito com o dinheiro dos grandes empresários que são os que mais se beneficiam com o transporte dos trabalhadores.

O transporte é um direito da população, principalmente a mais carente, e não uma mercadoria para garantir aos empresários grandes lucros prejudicando milhões de pessoas na cidade!

Não ao aumento da tarifa! R$ 4,35 é roubo!

Pela estatização dos transportes públicos sob o controle dos trabalhadores

Fora Rogério Lins! Fora Temer! Fora todos eles!