RJ: Liberdade para Igor Mendes e todos os presos políticos


1 – A Polícia Civil, com o aval da Justiça, desencadeou nova investida repressiva contra os movimentos ligados aos trabalhadores. Foi preso, no último dia 3 de dezembro, o militante do MEPR (Movimento Estudantil Popular Revolucionário) e da FIP (Frente Independente Popular) Igor Mendes, e expedido mandado de prisão contra Elisa Quadros (Sininho) e Karlayne Moraes. Os três respondiam em liberdade a processo que criminaliza sua participação nas lutas ocorridas em 2013 e 2014 no Rio de Janeiro, e foram presos pelo simples fato de terem comparecido a uma atividade pública do movimento.

2 – Esta nova investida busca continuar a política de repressão aos movimentos sociais. Passadas as eleições, os governos Dilma (PT) e Pezão (PMDB) já iniciam seus mandatos mostrando um claro rumo em direção a uma política de defesa dos interesses dos banqueiros e grandes empresários que financiaram suas campanhas. As primeiras medidas tomadas apontam para uma política econômica que beneficia os ricos, reduzindo gastos públicos e corroendo salários. Diante das inúmeras demonstrações de luta que a classe trabalhadora e a juventude brasileira deram nos últimos meses, é fundamental para o projeto dos governos continuar a repressão aos movimentos sociais, restringindo o direito de lutar e perseguindo os que lutam.

3 – Diante deste cenário, é fundamental o total repúdio e irrestrita solidariedade aos perseguidos políticos. Os trabalhadores não devem depositar nenhuma confiança nas informações veiculadas pela grande imprensa, que sempre se coloca ao lado dos ricos e poderosos e distorce os fatos para incriminar os que lutam em nosso país. Não devemos ter também nenhuma confiança na Justiça. Na mesma semana em que manda prender ativistas pelo simples fato de terem comparecido a uma atividade político-cultural pública, a Justiça solta PM’s que estupraram mulheres no Jacarezinho. As polícias, a imprensa, a Justiça e os governos estadual e federal são parceiros na perseguição aos que estão na luta. Apenas a nossa mobilização poderá fazer com que recuem em sua política de criminalização.

4 – Alertamos aos trabalhadores e movimentos sociais para a necessidade de se defender da repressão crescente por parte dos governos Dilma (PT) e Pezão (PMDB). É necessário construir políticas de defesa contra a repressão nas nossas entidades e organizações. Os trabalhadores e a juventude vêm demonstrando uma grande disposição para lutar por seus direitos e, diante dos ataques que os governos preparam, devemos ter muito mais lutas pela frente. É necessário, portanto, combater a repressão e preparar as lutas que virão.

Exigimos:
– Liberdade para Igor Mendes e todos os presos políticos!

– Chega de repressão! Lutar é um direito, Lutar não é crime!

ACESSE o blog do PSTU-RJ