Fábio Bosco

Nesse dia 30 de março, os Palestinos tomaram as ruas para exigir uma Palestina Livre. Na Cisjordânia houve protestos em muitas vilas e em todas as principais cidades como Ramallah, Qalqilya, Nablus, Jenin, Belém e Al Khalil (Hebron). Uma bela passeata ocorreu em Sakhnin na Galiléia localizada na Palestina ocupada em 1948, mesmo local onde 6 palestinos foram mortos em 1976 para defender suas terras.

A maior manifestação ocorreu em Gaza onde 100 mil pessoas caminharam sob forte chuva para a cerca que divide a Faixa de Gaza da Palestina Ocupada em 1948. Lojas e locais de trabalho fecharam paralisando toda a Faixa. 3 palestinos foram mortos por soldados israelenses, 244 foram feridos, 5 deles gravemente.

Por um ano,os palestinos de Gaza realizam manifestações semanais chamadas de Grande Marcha do Retorno pelo seu direito de retornar às suas terras na Palestina Ocupada em 1948, e para por fim ao bloqueio de 12 anos contra a Faixa de Gaza.

269 palestinos foram mortos pelos israelenses nos últimos doze meses em Gaza. 50 delas eram crianças, 6 mulheres, 3 agentes de resgate de emergência e 2 jornalistas. 30.398 foram feridos.

O jornal Al-Risalah ligado ao Hamas anunciou uma trégua com poucas concessões, entre elas o aumento da ajuda econômica do Qatar para pagamento de salários de US$ 15 para US$ 40 milhões, a extensão da zona de pesca de 9 para 12 milhas, maior provimento de energia elétrica e uma usina de dessalinização para prover água potável. O Dia da Terra ocorre ao mesmo tempo que um milhão de argelinos tomam as ruas de Argel, e os sudaneses realizam uma Intifada, ambos pelo fim do regime.

Fábio Bosco, de São Paulo (SP)