Protestos em São José dos Campos levam Justiça a cassar aumento de vereadores

Parlamentares, inclusive os petistas, aprovaram aumento de mais de 60%Um grande movimento tomou conta da cidade de São José dos Campos, interior de São Paulo, contra o aumento de mais de 60% autoconcedido pelos vereadores. Com a alta taxa de desemprego e salários arrochados a população foi às ruas denunciar mais essa maracutaia. O reajuste foi concedido em segredo. Não houve votação em plenário e todos os vereadores (inclusive a bancada petista) assinaram o documento solicitando o aumento. No final de fevereiro as vereadores já receberam o salário reajustado e mais a diferença de janeiro. Com o aumento, o salário dos vereadores saltou de R$ 4.500,00 para 7.226,55, maior que o salário dos vereadores de São Paulo.

A partir da revelação do aumento feita pela imprensa local foram realizados vários atos na cidade e na Câmara Municipal. Isso fez com que os vereadores petistas anunciassem que estavam abrindo mão do aumento, “mas não sabem se vai ser possível devolver o dinheiro”.

Várias ações também foram encaminhadas à Justiça para suspender o reajuste. Na semana passada, o juiz Luiz Maurício Sodré concedeu uma liminar suspendendo o reajuste, mas os vereadores já informaram que vão recorrer.

Apesar dessa vitória na Justiça, a verdadeira ação contra esse absurdo está sendo protagonizada nas ruas, praças, portas de fábricas e em frente à Câmara da cidade. Mais de 17 entidades, entre sindicatos, associações de bairro, movimentos populares e partidos políticos têm organizado piquetes, manifestações e um abaixo-assinado repudiando a atitude do Legislativo. Até agora já foram coletadas mais de dez mil assinaturas, que serão entregues aos vereadores nesta semana.

Os últimos dias foram marcados por várias manifestações. As sessões da Câmara parecem relâmpagos. O tempo das últimas duas sessões, somados, não chega a quarenta minutos, pois os vereadores têm suspendido os trabalhos, alegando uma suposta falta de segurança. Os protestos em frente à Câmara têm contado com aproximadamente trezentas pessoas. No último protesto, com nariz de palhaço, cartazes e bonecos, os manifestantes queimaram um caixão simbolizando o enterro da ética na política.

Mobilização popular causa recuo de petistas e deflagra contradições
Diante dos protestos contra o aumento abusivo dos vereadores, a bancada petista recuou. Composta por três vereadores, os petistas se declararam contra o aumento, mesmo tendo assinado o documento pedindo o reajuste de mais de 60%. A Igreja Católica se posicionou contra o aumento e tem cobrado dos vereadores ligados a ela uma “auto reflexão sobre o assunto”. Nas missas, os padres também têm falado sobre a questão.