No próximo dia 7 de outubro, às 19h, acontecerá, em formato virtual, a Plenária Nacional de lançamento do “Manifesto pela Construção de um Polo Socialista e Revolucionário no Brasil”. Até o momento, mais de mil ativistas, de diversas categorias e movimentos sociais, de Norte a Sul do Brasil, já assinaram o Manifesto, que propõe uma alternativa política, classista, revolucionária e socialista para atuar nas lutas e nas eleições.

O Polo Socialista e Revolucionário pressupõe um acordo básico: a defesa de um projeto socialista para o Brasil e para o mundo e de uma alternativa revolucionária. Propõe, ainda, a unidade em torno a um programa que não pare nos limites de uma democracia burguesa “radical”.

A urgente necessidade da independência de classe

“Ao mesmo tempo que lutam neste momento – por vacinas para todas e todos, auxílio emergencial para quem precisa, emprego e direitos para nossa classe e para colocar para fora Bolsonaro e Mourão –, os trabalhadores e a juventude do nosso país não podem perder de vista a necessidade de acabar com o capitalismo. Mais do que nunca, é necessário levantar bem alto a bandeira do socialismo e da revolução”, afirma um trecho do Manifesto.

O documento faz a defesa de projeto socialista e de classe frente à defesa de um projeto capitalista de conciliação com empresários (da cidade e do campo) e banqueiros, que vem sendo capitaneado pelo PT, com o apoio do PT e da ala majoritária do PSOL.

“Para governar o país, não serve o mesmo critério de unidade ampla que é necessário para a luta contra Bolsonaro. É fundamental o critério da independência de classe. E não é por capricho, é por necessidade”, frisa o texto do Manifesto.

O Manifesto encerra convidando para construção do polo socialista e revolucionário. “O objetivo é aglutinar todas as forças que se comprometam com essa construção por compreender a necessidade de unir todas as forças, de todas e todos que querem, de forma honesta, acabar com as mazelas que o capitalismo impõe à nossa classe e à juventude e que defendem um futuro socialista e comunista para a humanidade.”

Confira

Leia o Manifesto na íntegra no site

Como faço pra assinar o manifesto?

Para assinar o manifesto é simples: basta acessar o site www.polosocialista.com.br e preencher seus dados.

Como faço para participar da Plenária Nacional?

A plenária será realizada pela plataforma Zoom. Faça sua inscrição com a pessoa que te enviou o “card” do evento ou este jornal do PSTU. A plenária será retransmitida por vários canais no YouTube, entre eles o canal do PSTU (www.youtube.com/PortaldoPSTU).

Entrevista

“O Polo vai unir nossas lutas em prol de um todo coletivo”

O “Opinião Socialista” conversou com a indígena Kunã Yporã (Raquel Tremembé), integrante da Articulação da Teia de Povos de Comunidades Tradicionais do Maranhão, que assina o Manifesto chamando a construção do Polo Socialista e Revolucionário

Você é uma das signatárias do Manifesto. O que levou você a se empenhar na luta pela construção de um Polo Socialista e Revolucionário no Brasil?

Assinei e estou propagandeando o chamado para que outros povos e comunidades tradicionais e camponesas se somem conosco. Nós, povos originários, viemos de uma série sucessiva de ataques, violências e violações seculares. São 521 anos de muita luta e resistência em prol da preservação dos nossos direitos e dos nossos modos de vida. A Constituição Federal, em seus artigos 231 e 232, nos permite isso. No entanto, temos nossos direitos violados, imposição de projetos de leis ruralistas, teses inconstitucionais e por ai adiante.

Qual a importância da construção do Polo Socialista diante da conjuntura política que vivemos em nosso país?

A importância é que o polo vem no sentido de alavancar as lutas contra os retrocessos causados não somente pelo governo de Jair Bolsonaro, pois sabemos que esse caos que “impera” hoje no Brasil é resultado de sujeitos passados. Outro elemento importante é que o Polo vai proporcionar a unificação de vários segmentos. Ao invés de fazermos lutas de classes isoladas, vamos construir uma luta plural, uma luta coletiva.

No dia 7 de outubro, acontecerá a plenária nacional do Polo Socialista. Fale um pouco sobre este evento

Estou muito animada com a construção desse novo esperançar. Acredito que na plenária do dia 7 de outubro, por contar de uma vasta diversidade de segmentos, teremos a oportunidade de explorarmos e debatermos coletivamente as propostas para os demais parentes indígenas e demais segmentos da classe trabalhadora. Acredito que será uma grande oportunidade de fortalecermos e estreitarmos ainda mais os laços com o nosso povo aguerrido, que luta diariamente contra todas essas mazelas, e unir nossas lutas em prol de todo um coletivo, que luta e acredita nessa grande ação revolucionária.