Oposição Bancária forma Chapa 2 em São Paulo

Nos dias 14 a 17 de junho, o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região entrarão em processo eleitoral para eleger a diretoria que estará à frente do sindicato de 2005 a 2008. No dia 11 de maio, a Oposição Bancária organizou uma convenção de chapa, com o objetivo de construir pela base uma alternativa para disputar as eleições com os pelegos que dirigem o sindicato atualmente.

A Convenção teve início às 20 horas e contou com a presença de cerca de 100 pessoas, que debateram o programa e a composição da Chapa 2 de Oposição. Durante o debate, foram lembrados os momentos da greve nacional dos bancários em 2004, o papel traidor da CUT e a resistência da base e da oposição, que passaram por cima da direção pelega e garantiram o movimento de greve. Dirceu Travesso, que encabeça a composição da Chapa 2, durante os debetes da convenção afirmou que “durante a greve, nós não enfrentamos só os banqueiros. Enfrentamos também o governo Lula”.

Sobre o caráter da chapa, Dirceu afirmou que “hoje aqui nós vamos montar uma chapa. Não uma chapa do sindicato, mas a chapa dos bancários, a chapa dos lutadores!”. A Convenção aprovou um programa que inclui pontos como a desfiliação do sindicato à CUT, uma postura de oposição ao governo Lula e pelo não pagamento da dívida externa.

Estiveram presentes na Convenção representantes de entidades e oposições sindicais que deram apoio à formação da Chapa 2 de oposição, como: Sindicato dos Bancários do Maranhão, Sindicato dos Bancários de Bauru, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Oposições Bancárias de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro e Sindfisp (Sindicato dos Fiscais da Previdência). Zé Maria esteve presente representando a Conlutas, Coordenação Nacional de Lutas.

A Convenção foi uma primeira grande vitória, pois conseguiu formar uma chapa com um programa classista e de luta, apesar de todos os esforços contrários da atual direção do sindicato. A Articulação fez de tudo para que não tivesse chapa de oposição, soltando um material na base com acusações caluniosas sobre membros da oposição e divulgando que as eleições do sindicato teriam chapa única, perpetuando o mandato da atual direção.

Houve essa primeira vitória, que foi a formação de uma chapa de oposição pela base. Porém, esse é só o início da batalha, pois ainda há toda uma campanha pela frente e a Articulação, o governo e os banqueiros vão intervir com tudo, fazendo todo tipo de pressão para desmontar a chapa. Por isso, a Chapa 2 recém formada já programou o início da campanha, com uma Plenária da chapa no próximo dia 14, às 14 horas e um material a ser distribuído na semana de 16 a 20 de maio. Se depender da disposição dos membros da chapa de oposição e dos apoiadores, os pelegos serão expulsos do sindicato e será eleita uma direção que represente os interesses da base!