Ocupação da USP segue após o fim da greve dos professores

Assembléia de estudantes da USP resolve retomar a negociação com a reitoria e exige não-puniçãoMesmo com a saída dos professores da USP da greve, a assembléia geral dos estudantes, realizada na fria noite desta terça-feira, 12, deliberou a continuidade do movimento grevista e da ocupação da reitoria da universidade. Entre as outras deliberações, estão os condicionantes para uma possível desocupação da reitoria, a serem negociados com a reitora Suely Vilela, além da manutenção da última contraproposta negociada entre estudantes e administração da universidade, a não-punição de estudantes e funcionários envolvidos na construção da greve e da ocupação e início da discussão de uma nova estatuinte para a USP.

Entendendo como fundamental a unidade do movimento da USP com o restante do funcionalismo público estadual, foi aprovada a participação no ato unificado desta sexta-feira contra os ataques do governador José Serra. O ato acontecerá com a participação de professores, funcionários e estudantes da USP, Unesp, Unicamp, Centro Paula Souza, Apeoesp e outros setores em mobilização.

Foram discutidos, ainda, os preparativos para a Plenária Nacional dos Estudantes em Luta, que ocorre no sábado, 16, na própria ocupação da USP, reunindo estudantes de dezenas de universidades do país que se mobilizaram nos últimos meses. Também foi decidido exigir direito de resposta ao jornal