O racismo “literalmente” escondido por trás das propagandas


Sobre o caso do menino negro segurando uma placa publicitária de uma imobiliária em SP

Nesta última segunda-feira (19) uma notícia gerou polêmica nas redes sociais, o motivo está relacionado a uma recente matéria publicada no site da Folha de São Paulo com o seguinte título: Placa Imobiliária Esconde Menino Negro e Causa Indignação em SP. /A foto publicada nos traz inúmeras reflexões sobre qual seria o problema acerca da publicidade. A questão é por que é um menino? Por que é negro? As pessoas estão fazendo polêmica com qualquer coisa?

O Brasil é atualmente o 7º país no ranking das economias no mundo. A projeção de crescimento da construção civil brasileira para o ano de 2014 é de 2,8%. Além disso, são inúmeros os incentivos estatais para este segmento traduzidos, principalmente, em isenções fiscais e em projetos do governo englobados no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Tudo isso tem alimentado a especulação imobiliária, são inúmeros os imóveis disponíveis para venda e aluguel o que tem enriquecido bastante as imobiliárias.

O que tudo isso está relacionado com o menino negro?

Entretanto, o nosso país também é um dos maiores em termos de desigualdade social, chegando a colocação de 3º lugar, atrás apenas da Bolívia e do Haiti. Um dos principais fatores para o Brasil ganhar essa “medalha de bronze” está relacionado com o fato de que a maior parte das riquezas brasileiras não são destinadas para a melhoria das condições de vida do conjunto da população, pelo contrário, a maior parte desse bolo vai para o pagamento da dívida externa e para o bolso dos empresários. É por isso que essa mesma pesquisa realizada pela ONU diz também que 5,1% dos brancos brasileiros sobrevivam com 1 dólar por dia, enquanto esse mesmo exame sobe para 10,6% quando se trata de negros e índios.

O menino negro faz parte de uma realidade que corrói o país de norte a sul, 54,5% das crianças de nosso país são negras ou indígenas. Quando falamos em pobreza e infância é preciso ressaltar que 65% da miséria atinge as crianças negras. Em 2011 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE apontou que em nosso país cerca de 3,7 milhões de crianças e adolescentes são vítimas do trabalho infantil. Não há dúvida que a pobreza e o trabalho infantil são marcados também pelo racismo. O Estado Brasileiro ignora e invisibiliza os/as negros e negras, principalmente as crianças, ao não implementar políticas públicas que revertam essa situação, se utiliza e contribuiu para a consolidação do racismo no Brasil.

A situação vivenciada pelo garoto da reportagem é reproduzida aos milhares nas ruas e esquinas de todos os estados. As crianças negras comumente são vistas vendendo balas nos sinais, estacionando carros, como ajudante em supermercados, fazendo pequenos serviços… Na verdade perdem todos os dias o seu direito a ser criança. A campanha publicitária da imobiliária reproduz o que há de mais cruel, invisibiliza a criança negra sobre uma placa de um homem branco e forte. Não é somente porque um negro ou negra não podem estar em propagandas e publicidades, mas porque ao custo da especulação imobiliária rouba-se a infância, e como aponta os dados, exatamente de crianças negras.