O narcotráfico e a discriminalização das drogas

O economista Jaime Vilela, professor da Universidad Mayor de San Andrés de La Paz e membro do Movimiento Socialista de los Trabajadores da Bolívia, ministrou, em 25 de janeiro, a oficina “Coca, narcotráfico e discriminalização das drogas”. Jaime ressaltou que o tráfico de drogas é hoje o terceiro negócio mais lucrativo do mundo. Um exemplo: os EUA são os grandes consumidores da cocaína da América do Sul, o que gera um lucro de US$ 161 bilhões na venda ao consumidor.

Para Jaime, a preservação da saúde da população não passa de um pretexto para manter os lucros altíssimos que a droga gera: “A proibição não freia o consumo, mas cria um grande negócio”. O economista defende a discriminalização das drogas, o que faria com que ela fosse taxada e acabaria com a violência gerada pela proibição, mas, principalmente, evitaria que uma minoria acumule fortunas explorando o tráfico.
Post author
Publication Date