O cipeiro Adelmo Leite recebe apoio material de companheiros após demissão

Ato em frente à Furp no dia 27
Sirlene Maciel

Uma campanha de solidariedade ao cipeiro José Adelmo Leite. Ele foi demitido injustamente da Fundação para o Remédio Público (Furp), uma instituição estatal. Como todos os trabalhadores, dependia de seu salário para sobreviver.

Hoje, Adelmo se encontra sem o seu salário. E, pior, como foi demitido por justa causa, saiu sem um centavo, após oito anos de trabalho.

Adelmo, com a ajuda da Conlutas, está recebendo apoio financeiro num momento muito difícil. As contribuições estão sendo feitas através de doação de dinheiro e de alimentos (veja no fim da matéria como participar).

Campanha pela reintegração
No dia 27 de maio, aconteceu um ato pela reintegração de Adelmo em frente à Furp. Participaram da atividade a Conlutas-SP, PSTU Guarulhos, PSOL Guarulhos, Subsede da Apeoesp Guarulhos, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e a Oposição de Servidores Municipais de Guarulhos.

Os manifestantes defenderam que o Sindiquímicos, sindicato que representa a categoria de Adelmo, apóie e fortaleça a luta contra a demissão. No dia 20 de maio, foi protocolada uma carta na entidade solicitando o apoio. A demissão de Adelmo é um ataque a todos os trabalhadores e à organização sindical. Por isso, o sindicato deve se somar à campanha.

Também foi encaminhado um pedido de reintegração imediata à Justiça. Foi solicitado, ainda, que Adelmo possa continuar participando das reuniões da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes para a qual foi eleito pelos trabalhadores.

Vários ativistas e, inclusive, alguns deputados estaduais já assinaram a moção de repúdio à demissão.

Furp: perseguições e demissões
Há quase dois anos, foi demitido, também por perseguição política, Joel Paradella. Além dele, tantos outros são demitidos de tempos em tempos na Furp por terem defendido os seus direitos. Agora foi a vez de Adelmo. É necessário lutar contra os desmandos da Furp. Os trabalhadores já estão cansados da arrogância e maus-tratos vindos das chefias.

Os concursos internos não servem para ajudar a carreira dentro da fundação, pois a maioria dos trabalhadores não são contemplados ou nem podem participar. Não existe equiparação salarial, ou seja, não existem oportunidades de crescimento profissional e salarial dentro da empresa. Isso tem que mudar.

O retorno de Adelmo à Furp será uma vitória de todos os trabalhadores. Isso será importante para mudar esse quadro de perseguições e demissões e para que se possa lutar por um plano de cargos e salários de verdade.

ONDE FAZER DOAÇÕES:

Sede do PSTU Guarulhos
Av. Esperança,733 – Centro – Guarulhos
Tel.: (11) 6441 0253

Subsede Apeoesp
Rua: Leonardo Vallardi, 203 – Centro – Guarulhos
Tel.: (11) 6440 2466 / 6409 6374

Sinpro Guarulhos
Rua: Maria Lucinda, 53
Tel.: (11) 6472 7098

Veja algumas pessoas quem já assinaram a moção de repúdio à demissão de José Adelmo Leite
David Zaia (deputado estadual PPS), Carlos Giannazi (deputado estadual PSOL), Valério Arcary (dirigente nacional do PSTU), Miguel Carvalho (PSOL), Aparecido Célio da Silva (PT), Valdemar Rossi (Pastoral Operária), José Maria de Almeida (da Coordenação Nacional da Conlutas), Flávio Godói (CTB), Edson Carneiro da Silva (Intersindical), Wagner Fajardo Pereira (Federação Nacional dos Metroviários), Ricardo Gebrim (Sindicato dos Advogados de SP), Sérgio Augusto Pinto Oliveira (Sindicato dos Advogados de SP), Hidetoshi Takishi (Sindsef-SP), Ana Luiza Gomes (Sintrajud), Antonio Luis de Andrade (Adunesp), Helena Silvestre (MTST), Arnoni Hanke (FEEB-RJ), Nelson Novaes Rodrigues (Sinsprev), Ricardo Luiz Lima Saraiva (Sindicato dos Bancários de Santos), Manoel Rosa (Sindicato dos Bancários de São Paulo)

LEIA TAMBÉM: