O capitalismo mata. Morte ao capitalismo

A razão do sistema capitalista é a busca a qualquer custo do lucro das grandes empresas e bancos. Para que uma minoria (a burguesia) siga sendo privilegiada, a maioria da população (os trabalhadores) é submetida a toda ordem de exploração, como a destruição de direitos, o desemprego e a miséria.

O Brasil é um país capitalista, sua economia está subordinada aos interesses dos grandes países imperialistas. Atualmente, 27 milhões de trabalhadores (40% da população ativa) vivem desempregados ou na economia informal, sem cobertura da seguridade social e de direitos trabalhistas. Mais de 20 milhões de famílias, ou seja, 82 milhões de pessoas pobres, vivem com menos de dois salários mínimos mensais. Por outro lado, em três anos do governo Lula, os lucros das grandes empresas com capital negociado na bolsa cresceram 71%. O lucro dos bancos aumentou 49% em relação ao governo FHC. Enquanto isso, a renda dos trabalhadores só aumentou 1%.

Foram pagos para os banqueiros R$ 105 bilhões só nos primeiros oito meses deste ano. Gastou-se mais em pagamento de dívida nestes meses do que em educação, saúde e reforma agrária em um ano.

Não existe nenhuma forma de conseguir salários decentes, acabar com o desemprego ou fazer a reforma agrária por dentro do capitalismo. Sem romper com o imperialismo e parar de pagar a dívida externa e interna aos banqueiros, não será possível mudar a vida dos trabalhadores.

Não há mudança por dentro do regime
A burguesia tem nas suas mãos o controle político da sociedade. Todas as instituições do Estado capitalista têm a função de preservar a propriedade privada, seja por leis, ou simplesmente pelo uso da repressão. Todos os dias nos deparamos com esse fato, quando os sem-teto ocupam um terreno urbano ou sem-terra ocupam uma propriedade rural, ou os operários ocupam uma fábrica. A polícia e a justiça garantem a propriedade dos capitalistas. O Congresso vota as leis que interessam ao grande capital.

Através de eleições, por dentro do Estado burguês não se pode conseguir romper com o capitalismo. A burguesia, com seu poder econômico, controla as eleições, financiando campanhas milionárias, controlando as TVs e os jornais, comprando os partidos e cabos eleitorais. A experiência do PT demonstra isso. Quem mudou não foi a economia ou o Estado. Quem mudou foi o PT, que se tornou neoliberal e corrupto.
Só com uma revolução, que rompa com o capitalismo e com o Estado burguês, será possível mudar realmente a vida dos trabalhadores.

Post author
Publication Date