No auge da crise, centrais sindicais farão ato governista em Brasília

Direções sindicais governistas agendaram um encontro com o presidente Lula, em Brasília, no dia 11 de julho, para expressarem apoio ao governo no momento de atual crise política. A CUT, a Força Sindical e a CGT estão organizando a ida ao evento, que será no auditório no segundo andar do Palácio do Planalto, às 15 horas.

Em um momento em que o governo se vê afundado em corrupção e que a população perde sua confiança no PT e nas instituições, as centrais governistas cumprem seu papel de capacho e vão prestar apoio ao governo. O evento faz parte de uma série de ações de defesa do governo e do PT, no mesmo sentido da marcha realizada pela CMS (Coordenação de Movimentos Sociais), dia 1º em Goiânia, para lançar a “Carta ao povo brasileiro“. A atividade foi proposta pelo presidente da CGT, Antonio Carlos Salim Reis, que propôs a ida a Brasília para “lutar contra a desestabilização do governo Lula“.

O PCdoB também está empenhado nessa tentativa de garantir a estabilidade desse governo corrupto. “É um contraponto à ofensiva conservadora da direita“, comenta João Batista Lemos, coordenador da CSC, corrente sindical dirigida pelo PCdoB. Para ele, “está muito claro que o centro, hoje, deve ser a mobilização em defesa do governo Lula“.

Todos os dias a CUT e as demais centrais mostram que assumiram até no sangue a defesa do governo e do estado burguês. Agora, assumiram a defesa até da podridão que integra as ações do estado. Enquanto o PT protagoniza ações corruptas, usando o dinheiro público para financiar campanhas e comprar votos, a CUT e as demais centrais desprezam a revolta dos trabalhadores do país e correm na defesa do governo.