Cueca derruba Genoino

Mais um rei do ouro do PT caiu por causa da crise política. Apesar do esforço do partido em manter o líder na presidência petista, José Genoino deixou a presidência do PT. A gota d’água para a perda do cargo foi a prisão de José Adalberto Vieira da Silva, assessor do deputado estadual José Nobre Guimarães (PT-CE), irmão de Genoino, com R$ 437 mil, no dia 8 de julho. O caso agravou o desgaste de Genoino, que já havia sido acusado de envolvimento na distribuição de mensalões a deputados da base aliada do governo.

O assessor José Adalberto Vieira da Silva foi preso transportando R$ 200 mil numa bolsa e mais US$ 100 mil na cueca. Adalberto tentou se justificar, dizendo que é agricultor e que o dinheiro foi recebido como pagamento de verduras que havia vendido na Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais do Estado de São Paulo). Entretanto, o “Jornal Nacional“ divulgou no dia 9 que Adalberto não trabalha com agricultura. O fato é que, com a prisão de Adalberto, apareceu o que faltava na história do mensalão: a mala.

A decisão sobre o afastamento de Genoino do cargo foi tomada pela reunião do Diretório Nacional, ocorrida nos dias 9 e 10. O atual ministro da Educação, Tarso Genro, assume agora a presidência petista, deixando, para isso, vago o Ministério. O atual secretário-executivo do PT, Fernando Haddad, é o principal nome cotado para assumir como ministro da Educação.

Outra modificação foi a indicação do ex-ministro da Saúde Humberto Costa para a Secretaria de Comunicação. Ele vai substituir Marcelo Sereno, do Rio de Janeiro, que também foi afastado por decisão do Diretório. Marcelo também cai em função do escândalo de corrupção do “mensalão“, no qual também está sendo investigado seu envolvimento.

As quedas de Marcelo Sereno e de Genoino se somaram aos afastamentos de Delúbio Soares e de Silvio Pereira da direção do partido, bem como à saída de José Dirceu da Casa Civil. A própria reforma ministerial é fruto da crise e busca afastar qualquer nome suspeito dos ministérios. A questão é: se todas as recentes denúncias são “vazias”, como dizem os petistas, como é que abalaram o Planalto e a estrutura do PT de tal forma, derrubando tantos dirigentes?