Missa no Vaticano provoca protestos contra pedofilia

O ex-arcebispo de Boston (EUA) Bernard Law foi escolhido para rezar uma das nove missas que fazem parte do ritual fúnebre do Papa. Essa escolha gerou revolta nas famílias de crianças vítimas de padres pedófilos, pois Bernard Law acobertou por 18 anos os padres acusados de pedofilia nos EUA.

O arcebispo tinha como prática transferir os padres acusados para outras paróquias para abafar os casos. Cerca de 200 padres da arquidiocese de Boston foram acusados de pedofilia nas últimas décadas, com 789 vítimas conhecidas. As indenizações em Boston ultrapassaram US$ 90 milhões. Por causa do escândalo, Bernard Law renunciou ao cargo em 2003. Porém, o Papa passou a mão na cabeça do arcebispo e o transferiu para o Vaticano, onde Law é até hoje responsável pela Basílica de Santa Maria Maggiore.

A escolha de Law para as cerimônias fúnebres soou como uma provocação aos católicos integrantes da Rede de Sobreviventes dos Molestados por Padres. As famílias disseram que vão fazer um protesto durante a missa de Bernard Law neste dia 11. Para os familiares, a escolha do arcebispo é uma demonstração de que a pedofilia não é considerado um problema grave pela Igreja.