Estações do metrô de São Paulo amanhecem fechadas. Categoria luta por melhores salários e contra a privatização do metrô

O Metrô de São Paulo entrou em greve às 0h desta quarta-feira (19). Neste momento as linhas 1- Azul, 2 – Verde, 3 – Vermelha e 15 – Prata não estão operando. A paralisação foi aprovada pela categoria em assembleia on-line realizada ontem à noite.

Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial e lutam contra a retirada de direitos. O metrô insiste em apresentar uma proposta que reduz os direitos trabalhistas.

Paralisação na Estação Jabaquara. Altino conversa com a população | Foto: PSTU-SP

Dos 3.162 participantes da assembleia, 2.448 (ou 77,4%) votaram pela greve. A proposta da empresa foi rejeitada por 88% dos votantes.

“A culpa dessa greve é do governo de São Paulo. Do Dória, do secretário do transporte, e dos seus representantes. Nesse sentido, a proposta que a empresa nos fez é uma proposta absurda”, diz Altino de Melo, coordenador do Sindicato dos Metroviários de São Paulo e militante do PSTU.

“As nossas reivindicações são as mesmas do povo trabalhador. Nossa luta é em defesa do metrô público e estatal de qualidade. Queremos vacina para todos e todas já e o fim das contaminações no transporte público. Estamos contra a tarifa exorbitante que é paga pelos usuários e pela manutenção de nossos direitos. O que nos move é a certeza de que não queremos que ninguém morra de fome ou do vírus”, completa Altino.

Estação Tucuruvi fechada. Grevista defendem reposição salarial e são contra a privatização, em defesa do transporte público

Reivindicações

– Nenhum direito a menos! Manutenção do acordo coletivo!
– Reposição das perdas salariais!
– Reposição dos adicionais retirados pela privatização!
– Trabalho igual, salário igual! Equiparação para todos os cargos! Pagamento dos steps!
– Pagamento da participação nos lucros (PR) atrasadas, referente a 2019 e 2020!
– Reincorporação dos demitidos injustamente!
– Contra a privatização, em defesa do transporte público de qualidade!
– Vacina para todos!

Greve teve inicio às oh desta quarta-feira, dia 19. A paralisação foi decidida em assembleia on-line realizada ontem à noite