Manifestantes saem às ruas contra o aumento da tarifa em Criciúma (SC)

Manifestantes do Terminal Central em Criciúma (SC). FOTO: Engeplus

Pelo menos uma centena de manifestantes saíram às ruas para protestar contra o aumento das passagem do transporte público na noite dessa sexta-feira (11), em Criciúma, no litoral sul de Santa Catarina. O protesto saiu da praça Nereu Ramos e caminhou até o Terminal Central, onde houve panfletagem e coleta de assinaturas para um abaixo assinado que será entregue à Câmara de Vereadores.

O anúncio do aumento foi feito pela prefeitura no dia 30 de julho e, na segunda-feira passada (7), estudantes e professores protestaram na Câmara Municipal contra o reajuste. Segundo Gabriel da Silveira, da Juventude do PSTU, “Criciúma atualmente tem a passagem mais cara do país por quilômetro rodado. Além disso, os estudantes do magistério não estão recebendo o passe-estudantil, e os maiores de 18 anos da rede estadual perderão o direito de receber. Ou seja, terão que pagar o valor integral de R$4,25“.

Gabriel da Silveira, da Juventude do PSTU.

Leia a nota do PSTU Criciúma sobre o aumento das tarifas:

NOTA DA JUVENTUDE DO PSTU SOBRE AUMENTO DAS TARIFAS DE TRANSPORTE EM CRICIÚMA

Criciúma novamente vem sofrendo com o aumento da tarifa do transporte público. Apontam como justificativa para o aumento a redução na quantidade de usuários e a crise econômica. Mas isso é contraditório, porque se aumentam o valor da passagem diminui a quantidade de usuários. Sendo assim, o maior problema é o lucro!

A planilha apresentada pela empresa ACTU (Associação Criciumense de Transporte Urbano) e aprovada pela atual gestão de Clésio Salvaro (PSDB), teve um aumento, em média, de 14%. O valor já passou a ser cobrado no dia 9 de julho de 2017. A passagem passa a ser cobrada no valor de R$ 4,25.

Criciúma é atualmente uma das cidades que mais paga caro por quilômetros rodados, indiferentemente de andar dez quilômetros ou cem metros, o valor é o mesmo. Além disso, todos os dias a população enfrenta ônibus superlotados, sem segurança. Não bastando pagar caro, o serviço é péssima qualidade.

Diariamente as trabalhadoras e estudantes são expostas a assédios machistas nos ônibus superlotados e nenhuma medida é tomada por parte da prefeitura e muito menos por parte das empresas. Segurança para as trabalhadoras e estudantes deve ser nossa bandeira.

É necessário que os trabalhadores, estudantes, professores, e movimentos sociais se organizem para reverter este cenário. Precisamos nos inspirar nos secundaristas que fizeram manifestações em São Paulo neste úlltimo dia 18 de julho.

Nós, da Juventude do PSTU, entendemos necessário romper com a máfia dos transportes, que vem cada vez mais enchendo o bolso com dinheiro público.

Estas empresas, além de ficarem com o lucro do transporte, recebem regalias do governo, como a isenção de impostos e de ISS (Imposto sobre serviço). Esse é um valor que poderia ser aplicado na educação, na saúde e em outras obras para a população criciumense.

Um exemplo de corrupção no setor dos transportes é o último escândalo que veio à tona no último dia 3 de julho na operação Lava Jato no Rio de Janeiro, em que foram descobertos rombos de milhões de reais na parceria prefeitura e empresas de transporte.

Nós, do PSTU, acreditamos ser papel do DCE da UNESC e todos os movimentos sociais, sindicais e estudantis chamarem para uma fortíssima campanha contra esse aumento arbitrário e vergonhoso.

Por isso afirmamos:
• Transporte não é mercadoria. Ele é um Direito Social garantido pela CF para toda a população;
• Fim das máfias dos transportes coletivo, Estatização Já;
• Criação de uma frota municipal de Criciúma;
• Passe Livre para estudantes trabalhadores e desempregados;
• ACTU (Associação Criciumense de Transporte Urbano)sob controle dos trabalhadores e dos movimentos sociais;
• Fora Temer,fora Salvaro e todos eles! Trabalhadores e o povo pobre no poder!