Mais de 49 mil trabalhadores da GM fazem greve nos EUA

Todo apoio à greve dos trabalhadores da GM nos EUA: Leia nota do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP) em apoio à mobilização

A greve dos trabalhadores da General Motors nos Estados Unidos, iniciada no domingo (15), merece toda solidariedade. Os companheiros estão em luta por melhores salários, participação nos lucros, plano de saúde acessível, segurança no trabalho, entre outras reivindicações.

Apesar da alta nos lucros, a companhia se recusa a avançar nas negociações com o sindicato da categoria (UAW). Em 2018, a GM acumulou lucros de 11,8 bilhões de dólares. No segundo trimestre de 2019, a GM registrou um aumento de 1,2% no lucro líquido, somando 2,4 bilhões de dólares neste curto período. É hora de repartir o bolo com quem produziu toda essa riqueza.

A greve representa a luta de 49 mil trabalhadores contra as duras consequências da reestruturação iniciada pela GM, em especial as demissões e precarização das condições de trabalho. Esses mesmos ataques estão acontecendo em outros países e precisam ser combatidos.

No Brasil, recentemente a GM demitiu trabalhadores nas fábricas de São Caetano do Sul e de São José dos Campos e no campo de provas de Indaiatuba.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos soma-se a esta importante luta dos trabalhadores norte-americanos contra todos os ataques gerados pela reestruturação.