Mais cobranças nos transportes em SP: Covas ataca trabalhadores da periferia!

PSTU-SP

O prefeito Bruno Covas (PSDB), para garantir os enormes lucros da máfia dos transportes em São Paulo, reduziu o número de integrações que se pode fazer com o bilhete único VT (Vale Transporte).

Passou de 4 integrações no período de 2 horas para apenas 2 num período de 3 horas. Essa medida foi tomada depois da prefeitura ter reduzido as linhas que saíam da periferia direto para o centro, obrigando os trabalhadores da periferia a fazerem várias integrações para conseguir chegar ao trabalho.

A prefeitura alega que o custo será para o empregador (empresário). Mas, como o trabalhador da periferia sabe, vários patrões, em especial das empresas terceirizadas, se recusam a contratar trabalhador que paga mais de uma tarifa para chegar ao trabalho.  Assim, o trabalhador, para garantir o emprego, vai retirar a outra tarifa do próprio bolso, ou fica desempregado.

Chega de dar dinheiro para máfia dos transportes
Há muitos anos existe a máfia de empresas que controla o transporte de ônibus de São Paulo, como acontece em quase todas as cidades do país.

São meia dúzias de empresários que fazem doações aos candidatos a prefeitos e esses, quando eleitos, garantem que continuem ganhando bilhões enquanto os trabalhadores e estudantes passam um sufoco dentro dos ônibus superlotados e com uma tarifa absurda.

– Cancelar esse novo processo de licitação!

–  Estatização do transporte com controle dos trabalhadores e usuários do sistema!

– Taxar os grandes empresários e garantir transporte gratuito e de qualidade para todos!

PSTU-SP