Haitiana faz palestra hoje em Natal pela retirada das tropas

Os haitianos Rachel Beauvoir Dominique (antropóloga, pesquisadora e professora da Universidade do Haiti) e Didier Dominique (arquiteto, professor da Universidade do Haiti e do movimento Batay Ouvriye – do crioulo, “Luta Operária“) estão fazendo um giro pelo Brasil desde do dia 01 de março de 2007, em uma campanha de solidariedade com o Haiti.

Os haitianos visitarão 11 cidades brasileiras com intuito de sensibilizar a sociedade em prol de uma grande campanha capaz de fazer valer o grito pela retirada das tropas estrangeiras e o fim do saque financeiro. Diversas organizações e movimentos sociais haitianos exigem o não pagamento de uma dívida que não devem, e a implementação de uma auditoria integral e participativa das dívidas financeiras, sociais, ecológicas e históricas, com o fim de estabelecer quem deve a quem e encaminhar ações frente à justiça, sanções e reparações dos delitos cometidos. O povo almeja que os governos construam uma aliança de políticas novas, a serviço da justiça, dos Direitos Humanos, da autodeterminação, e da soberania como base para a paz.

A antropóloga Rachel Beauvoir Dominique estará em Fortaleza (02/03), em Recife (03 e 04/03), em João Pessoa (05/03), em Natal dia 05/03, segunda-feira, às 19h, no auditório da FETARN, Rua Apodi, 221, Centro, (trecho entre a Av. Deodoro e Princesa Isabel), fone: 3211- 4688, em Salvador (06/03) e São Paulo dia (08 e 09/03). Já Didier Dominique visitará Porto Alegre (02 e 03/03), Florianópolis (04 e 05/03), Curitiba (06/03).

No dia 06 de março os haitianos estarão em um debate na Universidade de Brasília (UnB), e no dia 07 de março participarão de uma audiência com autoridades, na qual entregarão o Relatório Final da Missão Internacional de Investigação e Solidariedade com o Haiti. A Missão Internacional foi composta por 20 representantes de redes, movimentos e instituições sociais da América Latina, Caribe, América do Norte e África e foi coordenado pelo Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel, Nora Cortiñas, das mães da Praça de Maio e Beverly Keene, do Jubileu Sul Américas. O Relatório traz denúncias sobre a atuação das tropas de ocupação em tiroteios e mortes e massacres em bairros periféricos. A denúncia vai além da ocupação militar, mas também da ocupação econômica, da qual o país é acometido por um plano de submetimento econômico e financeiro com uma abundante mão – de – obra barata, o controle sobre os bens naturais e a grande parte da riqueza produzida.

O Dossiê Haiti é um comprometimento de solidariedade e apoio com o país e seu povo, è um compromisso de contribuir com a luta do povo haitiano.

Com informações da Rede Brasil sobre Instituições Financeiras Multilaterais