No alto à esquerda, outdoor bolsonarista. À direita, outdoor do Sindicato dos Químicos, e embaixo, outdoors bancados por moradores

Kátia Sartori

Quem caminhou pelas ruas de Vinhedo esse mês, se deparou com a polarização política que estamos vivendo no país, expressa nos outdoors da cidade. Já havíamos comentado aqui sobre os outdoors que amanheceram na cidade no início do mês, com a frase “#FechadosComBolsonaro”.

O que poderia até não causar muita surpresa para uma cidade que é conhecida por estar cercada por seus condomínios fechados, seu histórico de uma porcentagem de quase 80% de votos em Bolsonaro nas últimas eleições, e por ser o berço do MBL (Movimento Brasil Livre), uma organização que se define como liberal, movimento que surgiu com o discurso de combater a corrupção, e hoje carrega uma série de investigações se afundando em escândalos políticos e financeiros.

Mas, por outro lado, Vinhedo também é a cidade de trabalhadoras e trabalhadores que mantém o Distrito Industrial da cidade funcionando a todo vapor em meio a pandemia. A cidade que, como outras tantas pelo país, está vendo o desemprego crescer junto com os números de contaminação, e começa a expressar sua indignação com essa realidade.

Diante desse cenário de caos que os trabalhadores e a juventude pobre estão vivendo, andar pelas ruas da cidade tendo que ler “#FechadosComBolsonaro”, foi despertando esse sentimento de indignação, porque fechados com esse governo estão os setores da burguesia, que escolhem garantir seus lucros, mesmo que às custas de nossas vidas. Nós, que estamos sendo empurrados a escolher entre correr o risco de nos contaminar ou morrer de fome, não temos como apoiar essa política genocida.

E é por isso que começou a brotar também na cidade os outdoors daqueles que estão fechados mesmo é pelo Fora Bolsonaro! O Sindicato dos Químicos de Vinhedo deixou seu recado na cidade: para derrotar o vírus é necessário garantir “quarentena geral já, com emprego e renda” e “Fora Bolsonaro!”. Mas as expressões de repúdio a Bolsonaro não pararam no setor organizado do sindicato. No decorrer das semanas foram surgindo iniciativas de organização nos bairros, com vaquinhas para garantirem sua mensagem, e hoje é possível ler pelas ruas: “Bolsonaro não me representa”, “Impeachment Já”, e inclusive em um desses outdoors os trabalhadores fizeram questão de avisar: “esse outdoor foi feito com doações e não com Caixa 2”.

Nós do PSTU -Vinhedo, parabenizamos as iniciativas do Sindicato dos Químicos, e dos exemplos de auto-organização dos moradores, que surgiram para dizer Fora Bolsonaro!

E queremos ajudar a transformar toda essa indignação espalhada pela cidade em luta!

No próximo dia 7 de agosto, centrais sindicais, movimentos sociais e partidos políticos estão chamando um dia nacional de mobilizações por “Fora Bolsonaro”!

Vamos organizar os setores da nossa classe que fecham com o #ForaBolsonaroJa! Vamos construir mais ações em nossa cidade! Espalhar nossa indignação por todo o país!

Fora Bolsonaro e Mourão Já!

Quarentena de verdade, com emprego e renda!