PSTU Ceará

Em plena pandemia, o prefeito Sarto Nogueira (PDT) articula, em caráter de urgência, uma reforma da Previdência em Fortaleza (CE), alterando a Lei Orgânica do Município. Trata-se de um imenso ataque aos direitos dos servidores públicos municipais.

Em conluio com a Prefeitura, a Câmara Municipal votou em primeiro turno, no último dia 10, a mensagem enviada pelo Executivo. O projeto aumenta o tempo de serviço para se aposentar, ataca pensionistas e prevê redução de salários para trabalhadores da ativa e aposentados.

Além disso, vários direitos dos servidores estão na mira do governo Sarto, tais como: licença prêmio, redução de carga horária, anuênios, dentre outros. O prefeito do PDT quer aproveitar a ampla maioria que tem na Câmara para realizar de uma tacada só as reformas previdenciária e administrativa. De forma inconstitucional, até a liberdade de filiação partidária vem sendo questionada.

Não vamos aceitar a agenda bolsonarista em Fortaleza!

Em uníssono, os servidores e servidoras da capital cearense repetem que não vão aceitar ataques do governo Sarto. O estado de greve e mobilização foi aprovado, e as várias categorias que compõem o serviço público municipal estão se mobilizando em paralisações.

Infelizmente, na contramão da independência de classe, muitas lideranças do PT, que dirigem os principais sindicatos de servidores, fizeram uma intensa campanha eleitoral para Sarto (PDT) no segundo turno das eleições municipais de 2020, afirmando que Sarto seria a esperança que venceria o ódio. Uma campanha semelhante a essa se estendeu inclusive a vários quadros do PSOL. O preço dessa campanha está sendo cobrado agora, em que Sarto, como era de se esperar, encaminha a reforma da Previdência e os trabalhadores não estavam preparados desde o início contra ele. A conciliação com o governo burguês pode resultar numa profunda derrota para a categoria.

O PSTU se solidariza com os trabalhadores e está na linha de frente dessa luta, lado a lado com os servidores e servidoras de Fortaleza. É hora de lutar para barrar os ataques do governo com uma greve geral unificada de todo o serviço público municipal da cidade!