Fazendeiros incendeiam acampamento do MST em Minas Gerais

Sem terra exibe marcas da destruição

No dia 20 de Agosto, mais uma ação criminosa contra o MST aconteceu no acampamento Novo Paraíso, em Jequitaí, norte de Minas Gerais. Os trabalhadores do acampamento estavam reunidos em assembléia, quando perceberam que várias casas pegavam fogo, em chamas de quase dez metros de altura, e que crianças gritavam de dentro destas casas, apavoradas.

Os trabalhadores, desesperados, correram para apagar o fogo, com baldes, vasilhas e tudo o que tinham a mão. Entraram nos barracos e conseguiram tirar as crianças. Só depois de muito esforço, conseguiram apagar o incêndio. Dois homens não identificados foram vistos fugindo e inclusive ameaçaram jovens e crianças do acampamento.

O resultado dessa ação foi: vários barracos destruídos, utensílios domésticos, alimentos e roupas queimados. Muitas famílias perderam tudo, exceto a roupa do corpo.

Coincidentemente, a delegacia da cidade ficou fechada por três dias, e só foi possível lavrar boletim de ocorrência na cidade vizinha de Pirapora.

Os trabalhadores não têm dúvidas de que essa ação criminosa foi feita a mando dos fazendeiros da região, que se aproveitam da conivência da polícia e das autoridades do município e do estado para tratar os trabalhadores rurais como criminosos. Várias lideranças estão sendo ameaçadas de morte e já sofreram atentados recentes.

No dia 22, representantes da Conlutas, do Sindicato dos Metalúrgicos de Pirapora e os candidatos Vanessa Portugal (governadora), Maria da Consolação (senadora), Cacau (Dep. Federal) e Giba (Dep. Estadual), da Frente de Esquerda Socialista, estiveram no local para prestar solidariedade e exigir providências.

Exigimos que essa ação, bem como as ameaças e atentados, sejam apurados e os responsáveis punidos exemplarmente. É preciso ainda agilizar o processo de desapropriação da fazenda em que se encontra o acampamento.

Pedimos também a solidariedade de todos os movimentos sociais, para que repudiem esta ação e ajudem os trabalhadores com alimentos não perecíveis,roupas e utensílios domésticos. As mensagens de solidariedade e objetos arrecadados devem ser enviados para a sede da Conlutas-MG, no endereço abaixo.

Coordenação Nacional de Lutas – MG
conlutas-mg@conlutas.org.br
Av. Amazonas, 491, sala 224
Fone 31- 3271-2406 / 9674-6871

LEIA TAMBÉM

  • Candidatos da Frente visitam norte de Minas