Foto: São Gonçalo Vai Mudar

No dia 18 de maio, João Pedro, menino negro de 14 anos, foi baleado e morto enquanto brincava com seus primos dentro da casa da família, no complexo do Salgueiro, município de São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro. Seguindo o exemplo das manifestações nos Estados Unidos, que exigem justiça pelo brutal assassinato de George Floyd, centenas de manifestantes tomaram a rua principal do centro de São Gonçalo no dia 5 de maio exigindo justiça para João Pedro e o fim da violência policial racista.

LEIA TAMBÉM: As revoltas negras no Brasil e a construção do “Homem cordial”: O caso João Pedro e a reação negra norte-americana

O PSTU apoia essas manifestações. Os governos federal, estadual e municipal, além de não garantir as condições básicas para os trabalhadores mais empobrecidos realizarem o isolamento social de verdade, aterroriza as comunidades com operações policiais assassinas que, longe de desarticular o crime organizado, traz morte e dor aos trabalhadores moradores das favelas.

Longe de ser uma exceção, o caso de João Pedro se tornou um símbolo da violência da policial contra negros e negras no RJ. Mesmo na pandemia, as operações violentas nas favelas não sessaram. Apenas nos meses de março e abril deste ano (ou seja, em plena pandemia da covid-19), 290 pessoas foram mortas em operações policiais no estado do Rio de Janeiro, a maioria delas, negras moradoras de favelas.

É preciso exigir justiça por George Floyd e por João Pedro. Além disso, é preciso exigir o fim da polícia militar e a legalização das drogas. Queremos uma polícia voltada aos interesses da classe trabalhadora e controlada por ela; que o uso abusivo de drogas seja tratado como caso de saúde e não de polícia.

Nesse momento de pandemia, é necessário também exigir quarentena total, com garantia de renda digna para trabalhadores informais e desempregados, proibição das demissões, que o Estado arque com a folha salarial dos pequenos e médios empresários, incorporação dos leitos privados sob controle do SUS.

Não é por acaso que negros e negras são as maiores vítimas da violência policial, do desemprego e subemprego, da falta de moradia digna e saneamento. O capitalismo utiliza do racismo para aumentar a exploração sobre o conjunto da classe trabalhadora. É necessário combater o racismo para unir a classe trabalhadora contra os nossos inimigos de classe e pela construção do socialismo.

• Justiça para Jorge Floyd e João Pedro!
• Pelo fim da PM! Pela legalização das drogas!
• Racismo mata! Capitalismo mata!