Em campanha inédita, metalúrgicos da Bundy e Hitachi aprovam desconto de 1% do salário para Haiti

Trabalhadores da General Motors fazem assembléia no próximo dia 11 para votar doaçãoCerca de 1.500 trabalhadores já aprovaram, em assembléias, o desconto de 1% em seus salários para doação ao povo haitiano. A iniciativa faz parte da campanha organizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, filiado à CONLUTAS. Na próxima quinta-feira, dia 11, acontecerá assembléias na General Motors, que possui hoje 8.500 trabalhadores.

Esta é uma campanha inédita, em que as doações são aprovadas em assembléias e descontadas direto em folha de pagamento. O Sindicato possui em sua base cerca de 40 mil metalúrgicos, localizados em empresas nas cidades de São José, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá.

Nesta terça-feira, dia 9, trabalhadores da Hitachi e Bundy aprovaram, por unanimidade, o desconto em folha. Semana passada, foi a vez da Trelleborg.

Amanhã, dia 10, a assembléia será na Heatcraft. A campanha percorrerá as principais fábricas da região. O dinheiro arrecadado será usado para reconstrução das organizações operárias e ajuda direta aos trabalhadores haitianos.

O dinheiro será enviado, em caráter de solidariedade de classe, à central sindical e popular do Haiti, Batay Ouvriey (Batalha Operária).

“Toda ajuda é necessária para garantir as condições mínimas de sobrevivência dos trabalhadores e reconstrução das entidades de classe. Até agora, os metalúrgicos têm demonstrado grande solidariedade e disposição para ajudar os companheiros haitianos”, afirma o diretor Renato Bento Luiz.

O Sindicato e a Conlutas também defendem o fim da ocupação do Haiti pelas tropas militares norte-americanas e da ONU. “A tragédia que ocorreu naquele país não justifica a ocupação e o fim da soberania haitiana. Defendemos a independência do Haiti para que seu próprio povo defina suas prioridades e reconstrução do seu país”, conclui Renato.

A campanha do Sindicato acontece simultaneamente à realizada pela Conlutas, também em favor da classe trabalhadora. O primeiro depósito enviado à organização haitiana Batay Ouvriye foi de R$ 104.838,65. Uma conta bancária foi aberta exclusivamente para receber doações: Banco do Brasil, agência 4223-4, conta corrente 8844-7, em nome de Coordenação Haiti.

LEIA TAMBÉM

  • São José dos Campos: ‘A nossa ajuda é diferente da das empresas´