Diante da fraude eleitoral em Honduras, Paralisação Popular e Nacional

Declaração dos Partidos Centro-americanos da Liga Internacional dos Trabalhadores diante da grave crise política em Honduras.

Como centro-americanos, acompanhamos de perto o desenvolvimento da campanha eleitoral nos últimos meses em Honduras e seu ápice em 26 de novembro, quando milhões de trabalhadores optaram por rechaçar a reeleição de Juan Orlando Hernández (JOH), que, manipulando todas as instituições, se impôs como candidato presidencial e hoje pretende se impor da mesma forma como presidente.

Diante desta grave situação, manifestamos o seguinte:

Repudiamos energicamente a fraude que tenta se impor em Honduras, que pretende legitimar a continuidade da presidência de Juan Orlando Hernández.

Responsabilizamos o Tribunal Supremo Eleitoral de Honduras pela situação de crise que o país vive, já que somente funcionou como ferramenta do governo atual para encobrir e eliminar a vontade popular dos resultados.

Condenamos o papel nefasto das missões de observadores internacionais da Organização dos Estados Americanos, que, como instrumento do imperialismo norte-americano, são protagonistas da Fraude, assim como a União Europeia e outras instâncias internacionais, que mantêm um silêncio cúmplice diante da fraude que é executada em Honduras debaixo dos seus narizes.

Responsabilizamos o governo de Juan Orlando Hernández e as Forças de segurança do Estado por qualquer violação aos direitos humanos que nosso povo irmão de Honduras sofra, produto de seu legítimo direito de se rebelar contra a tirania.

Exortamos as organizações sindicais, camponesas, populares e estudantis a autoconvocar, planejar e organizar a PARALISAÇÃO POPULAR E NACIONAL que derrube o atual regime ditatorial de Juan Orlando Hernández.

Advertimos a Classe Trabalhadora Hondurenha a confiar em suas próprias forças e organizações e a não confiar no Libre nem na ALIANZA, que chamam a manter a “paz social”, a esperar os resultados, a comparar as atas etc., e que só vacilam na resposta contundente que o povo deve dar. Diante da fraude em curso, devemos organizar a resistência à fraude, organizando um Encontro das organizações sindicais, camponesas, populares e estudantis, que defina os passos a seguir, e não reconhecer a ALIANZA como interlocutor diante das possíveis negociações que estão sendo feitas na cúpula. O objetivo principal é: ABAIXO A FRAUDE e FORA JOH.

Exigimos que o governo de Salvador Sánchez Cerén, em El Salvador, de Luis Guillermo Solís, na Costa Rica, e os demais governos da América Central rompam relações com o governo ditatorial de Honduras.

Finalmente, fazemos um chamado às organizações internacionais para realizar manifestações nas embaixadas e consulados de Honduras em seus países em solidariedade à justa luta do povo hondurenho.

PARTIDO SOCIALISTA DE LOS TRABAJADORES – PST-HONDURAS

PARTIDO DE LOS TRABAJADORES – PT-COSTA RICA

UNIDAD SOCIALISTA DE LOS TRABAJADORES – UST-EL SALVADOR

América Central, 30 de novembro de 2017

Tradução: Lilian Enck

Publicado originalmente no Portal da LIT-QI