Deputados do PSL escancaram seu racismo na véspera do Dia da Consciência Negra

Enquanto um deputado depreda exposição sobre consciência negra, seu colega de partido chama negro de bandido

Na véspera do dia em que se comemora a luta do povo negro no Brasil, e no mesmo dia em que a Polícia Civil concluiu que o tiro que matou a menina Ágatha partiu da PM, dois deputados do PSL fizeram questão de demonstrar todo o seu racismo. O deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), simplesmente quebrou uma charge da exposição “Resistir no Brasil”, em homenagem ao 20 de Novembro na Câmara dos Deputados.

A charge de Latuff, com o título “O genocídio da população negra”, mostrava um policial de arma em punho ao lado de um jovem negro com uma camiseta estampada com a bandeira nacional estirado no chão. “Os negros são as principais vítimas da ação letal das polícias e o perfil predominante da população prisional do Brasil“, informava ainda a placa, com dados do Atlas da Violência, do próprio IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica).

A depredação da charge ocorreu na tarde desta terça-feira durante inauguração da exposição. Coronel Tadeu havia ainda enviado uma carta ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), exigindo a retirada da placa. “Conforme se verifica do conteúdo da imagem, há a absurda atribuição da responsabilidade pelo genocídio da população negra aos policiais militares, prestando-se, assim, verdadeiro desserviço junto à população que trafega pelas dependências da Câmara“, escreveu.

O racista Coronel Tadeu, com seu ato criminoso, porém, só veste a carapuça do que a charge denunciava.

Se o tal Coronel Tadeu ainda tentou negar seu evidente racismo e justificar sua depredação, seu colega deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), o mesmo que quebrou a placa de Marielle Franco durante a campanha eleitoral, mandou qualquer escrúpulo às favas e fez, no próprio plenário, um discurso igualmente racista. “É evidente que mais negros morrem“, disse. “Há mais negros com arma, mais negros cometendo crime, mais negros confrontando a polícia“, esbravejou o racista, reproduzindo a ideia de que negro é bandido.

Deputados Coronel Tadeu e Daniel Silveira: racistas
Foto Lula Marques

Diante da comoção e da indignação causada pelos atos racistas, Rodrigo Maia se limitou a dar uma “bronca” no deputado e pedir para “que isso não mais se repita”. Um verdadeiro escárnio. É preciso exigir punição já a esses racistas. Não se pode normalizar um crime desses, em que parlamentares se sintam livres, e no direito, de cometer racismo e ainda se orgulhar disso.