Delegados aprovam nome da nova central, mas debate paralisa congresso

Forma de composição e nome da nova entidade, Conlutas-Intersindical, foram aprovados após duro debate no plenárioA criação de uma nova entidade de caráter sindical, popular e estudantil foi aprovada pela ampla maioria dos delegados. Esta forma de composição da nova central venceu outras duas propostas: a de uma central somente de trabalhadores, ou seja, que organizasse somente os sindicatos e a proposta de central sindical e popular, mas sem as representações dos estudantes. Porém, reconhecendo a centralidade da classe operária, os delegados aprovaram a representação estudantil e dos setores de luta contra a opressão na nova entidade, com o limite de 5%.

Os delegados aprovaram também a forma da nova secretaria executiva nacional. A Conlutas havia proposto a quantidade de 25 diretores e 8 suplentes e a Intersindical, 27 efetivos com 10 suplentes. Chegou-se então à proposta aprovada, de 27 diretores executivos e 8 suplentes.

“Conlutas-Intersindical
O novo nome da entidade foi a principal votação nessa tarde e provocou um intenso debate. Havia originalmente três propostas: Cocep, Ceclat e Conlutas-Intersindical. O nome “Ceclat”, proposto pela Intersindical e outros setores; e o nome “Conlutas-Intersindical”, proposto pela Conlutas, polarizaram o debate. O MTL, um dos setores que convocam o congresso, propôs o nome de “Conlutas-Intersindical CSP”, que significaria “Central Sindical Popular”, o que foi aceito pela Conlutas.

A Intersindical, porém, se manteve irredutível. Uma grande claque chegou a vaiar a intervenção de Zé Maria e interromper sua fala seguidas vezes, propositalmente. A agitação só diminuiu após apelos de Lurjan, da direção da Intersindical.
Ainda assim, na fala seguinte, Edson Carneiro (Índio), também da Intersindical, chegou a ameaçar romper o congresso.

Após calorosos debates, os delegados aprovaram o nome apresentado pela Janira Rocha, dirigente do MTL: “Conlutas-Intersindical Central Sindical Popular”. Representantes de todos os movimentos acompanharam a votação e tiveram acordo na vitória da proposta do nome. Os pedidos de contagem foram retirados, mas o MAS (Movimento Avançando Sindical) manteve a proposta de contar os crachás. O tema foi levado ao plenário e uma ampla maioria confirmou a vitória da proposta.

O Congresso da Classe Trabalhadora paralisou suas atividades por volta das 18h desse dia 6, para plenárias de inscrição de chapas para a direção da nova entidade. Por volta das 19h30, a plenária foi reinstalada, mas até o momento, setores da Intersindical e outros movimentos não retornaram ao plenário.

O Portal publicará novas informações sobre o congresso, ainda hoje.