Crise chega a São Carlos, capital da tecnologia

São Carlos, cidade localizada no centro do estado de São Paulo, é considerada a capital da tecnologia no Brasil. O município de 220 mil habitantes está sendo fortemente abalado pela crise mundial.

Segundo dados do Centro das Indústrias de São Paulo (Ciesp), só as empresas representadas pelo Ciesp já demitiram cerca 2 mil funcionários do setor metalúrgico desde o início da crise.

A Tecumseh é uma das maiores fábricas de compressores para refrigeração do mundo. Em 2006, tinha 7.300 funcionários na unidade de São Carlos. Hoje tem, no máximo, 3 mil. Só este ano, foram demitidos mais de 700 trabalhadores.

A empresa fechou o terceiro turno e, atualmente, trabalha com apenas dois. Mesmo assim, já existe a possibilidade de se trabalhar somente com um. A redução de salários também está em debate. O pior é que essa firma tem total isenção de impostos concedida pela prefeitura.

A Electrolux, indústria de eletrodomésticos, também tem planta instalada na cidade. No fim do ano passado, demitiu cerca de 300 trabalhadores.

A cidade também abriga uma unidade da montadora Volkswagen. As demissões ainda não começaram na empresa. Isso graças ao banco de horas: os trabalhadores estão trabalhando sem receber horas-extras.

A crise também afetou os setores de alimentação, químico e têxtil. O Rei Frango tinha cerca de 2.200 funcionários. Demitiu mais de 1.500 trabalhadores e está atrasando o pagamento dos salários. Os demitidos ainda não receberam seus direitos.

Nessa empresa, os trabalhadores se mobilizaram, mas foram completamente abandonados pela direção do seu sindicato, filiado à Força Sindical. Existe um boato de que a empresa vai falir.

*Com informes da Conlutas São Carlos.