Chegou a nova edição da Revista Marxismo Vivo, publicação de teoria e política internacional publicada pela Liga Internacional dos Trabalhadores (LIT-QI). Com periodicidade quadrimestral, a revista chega ao número 21. O tema central desta edição é América Central – 30 anos de revolução e contra-revolução.

Este tema tem uma importância grande em particular, neste momento, pelo que está ocorrendo em Honduras. Além das declarações da LIT-QI sobre Honduras, a revista traz um dossiê sobre os 30 anos da Revolução Nicaraguense, fato que abriu uma nova situação revolucionária em toda a América Central em 1979 e despertou grande entusiasmo e simpatia no movimento de massas em todo o mundo.

A revolução na América Central, infelizmente, foi desviada e derrotada, mas suas lições são fundamentais para formação de qualquer revolucionário. Um Destaque importante neste dossiê é um artigo contando a história e as lições da famosa Brigada Simón Bolívar, impulsionada por nossa corrente, na época chamada Fração Bolchevique da Quarta internacional. À frente, estava o PST da Colômbia.

A revista também traz os artigos “O Sandinismo ontem e hoje” e “Por que a luta armada?”. Por fim, um artigo apresenta um programa para a América Central. Na sessão clássicos do marxismo, um texto de Moreno, “América Central: seis países, uma nacionalidade, uma revolução”.

Além do tema América Central, a revista debate as eleições europeias, na segunda parte do texto de Alejandro Iturbe sobre o sistema financeiro mundial.

A Marxismo Vivo é um rico instrumento de formação, debate e divulgação das posições da LIT-QI e custa apenas R$ 15. para adquirir, procure um de nossos militantes em nossas sedes ou mande e-mail para [email protected]