Chapa de oposição vence eleições do SINDSERM de Teresina

A chapa 1 “Base em Ação – oposição unificada” venceu as eleições do Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (SINDSERM) realizada ontem (14), com 63,7% dos votos válidos. A chapa reúne ativistas independentes e quatro grupos de oposição que se organizavam na base do sindicato, como a Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas), APS, CSOL e PCO.

“Foi uma vitória importante. A categoria está retomando o Sindicato para a luta, com independência frente aos governos. A unidade da oposição foi decisiva nessa conquista”, afirma o militante da CSP-Conlutas e professor Francisco Sinésio, o Délio, presidente eleito pela chapa 1 e militante do PST, que obteve 670 votos, contra 381 da chapa 2. Uma diferença expressiva de 289 votos. Houve ainda 15 votos brancos e 39 nulos, totalizando 1.105 votos.

A “Chapa 2 – Fazendo Diferente” tentava a reeleição, tendo à frente o professor Solistícios Melão, que contava com o apoio da UGT e da Prefeitura Municipal. Nos últimos três anos, sob a direção de Solistícios, o Sindserm não mobilizou os servidores municipais contra os ataques dos prefeitos Sílvio Mendes (PSDB) e Elmano Ferrer (PTB). “Agora é retomar o trabalho de base e avançar na organização e luta da categoria, em defesa de nossos direitos”, completa Délio.

A apuração dos votos iniciou-se por volta das 19h e foi finalizada cerca de meia-noite. A contagem aconteceu de forma tranqüila, no pátio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semtcas), contando com observadores da CSP-Conlutas Assembleia Nacional de Estudantes Livre (Anel), Sindicato Nacional dos Docentes de Instituições de Ensino Superior (ANDES SN), Sindicato dos Correios do Piauí (SINTECT), Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal do Piauí (SINTRAJUFE-PI), Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica do Estado do Piauí (SINTE-PI, ligado à CUT), Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (SINPOLJUSPI) e UGT, além de dirigentes do PSTU, PSOL e PCO.