Foto: Roosevelt Cássio/Divulgação

Em descumprimento ao acordo negociado com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, a Caoa Chery informou em reunião com a entidade, na última sexta-feira,  dia, que desistiu do plano de layoff para os trabalhadores da fábrica de Jacareí. A medida coloca em risco a credibilidade da empresa e leva os metalúrgicos a reiniciarem a mobilização contra as demissões.

Na manhã do sábado, dia 14, o Sindicato convocou os trabalhadores para uma assembleia em sua sede, em que foi aprovada a retomada da luta em defesa dos empregos. Logo em seguida, saíram em passeata pelas ruas do centro de São José dos Campos até uma concessionária da Caoa Chery. Com cartazes, ocuparam a montadora e exigiram o cumprimento do layoff.

O acampamento em frente à fábrica também foi retomado após a assembleia.

Proposta de layoff foi oficializada em ata

A montadora havia aceitado, em negociação ocorrida no dia 10, adotar a proposta do Sindicato, com cinco meses de layoff mais três meses de estabilidade para os 480 trabalhadores que seriam demitidos. Por enquanto, eles estão em licença remunerada.

A ata da reunião registra o posicionamento da Caoa Chery concordando com o layoff:

“Após debates, ficou acordado que a empresa concorda com a implementação de layoff por cinco meses (nos termos negociados em fevereiro de 2022), de junho a outubro de 2022, e estabilidade no emprego por três meses de novembro a janeiro de 2023”, diz um trecho da ata.

Os termos negociados em fevereiro referem-se a um plano anterior de layoff e que também não foi cumprido pela empresa.

“É de extrema gravidade essa atitude da Caoa Chery. A empresa está quebrando um acordo já aprovado em assembleia. Os trabalhadores não aceitarão essa afronta. Vamos acionar todas as formas jurídicas e acirrar a luta contra o fechamento da fábrica e pela manutenção dos empregos”, afirma o presidente Weller Gonçalves.

No dia 5 de maio, a Caoa Chery havia comunicado ao Sindicato de que iria encerrar as atividades na fábrica de Jacareí e realizar demissão em massa. Desde então, os metalúrgicos estão em luta pela permanência da fábrica na cidade e preservação dos empregos.

Audiência sobre desindustrialização

O Sindicato vai participar da Audiência Pública sobre a desindustrialização no Brasil, que acontece nesta quarta-feira (18), às 14h, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Auditório Teotônio Vilela).

O presidente do Sindicato vai levar para a discussão os planos de fechamento da Caoa Chery em Jacareí e suas consequências para a região.