Camarada Clarckson, presente! Até o socialismo, sempre!

É com profundo pesar que comunicamos à militância partidária, sindical, popular e dos movimentos sociais o falecimento do nosso querido Clarckson Messias Araújo do Nascimento.

Empregado da Petrobrás desde 1978, esteve na ativa até o início deste ano, quando se desligou em janeiro de 2022.

Estes 44 anos na Petrobrás se confundiram com sua trajetória na luta socialista, se dedicando a construções e lutas desde os anos 1980, como o PT e a CUT, bem como as greves petroleiros de 1983, 1987 e 1989. Nos anos 1990, construindo o Comando Nacional e a FUP, e as greves de 1994 e 1995, e contra a quebra do monopólio estatal do petróleo, já nas fileiras do PSTU. Nos anos 2000, com a chegada do PT ao governo, defendeu a independência política da classe trabalhadora, o que levou à ruptura com a CUT e à construção da CSP-Conlutas. No movimento petroleiro, a ruptura com a FUP e a construção da Frente Nacional dos Petroleiros, o que hoje se tornou a FNP, participando de sua direção desde sua fundação até hoje.

No Sindipetro AL/SE, participou da construção da oposição no início dos anos 1980 e que, em 1987, conquistou a direção deste sindicato, perdendo em 1990 e reconquistando em 1993, com a corrente que permanece até hoje.

Clarckson esteve nos últimos dois anos afastado por problemas de saúde o que, junto com as restrições da pandemia, o fez ficar mais recluso ainda. Nos últimos meses, vinha conquistando melhoras de saúde, se cuidando, buscando recuperar sua qualidade de vida.

Nesta manhã, infelizmente, durante a prática de exercícios físicos, se sentiu mal, sendo socorrido e levado ao hospital. Ao ser atendido, constatou-se que Clarckson sofreu um infarto, vindo a falecer.

No decorrer deste dia, atualizaremos informações sobre o velório e sepultamento do camarada Clarckson.

Aracaju, 7 de abril de 2022

Secretaria Nacional de Petroleiros do PSTU