Belo Horizonte debate novo partido no próximo sábado

Plenária dos socialistas mineiros por um movimento rumo ao novo PartidoPlenária dos socialistas mineiros: por um novo Partido de esquerda, democrático, de luta e socialista!

Dia 6 de setembro, sábado, às 15 horas
Auditório da Sociedade Mineira de Engenheiros
Rua Timbiras, 1.514 – 4.º andar – Centro
Belo Horizonte (MG)

No último dia 14 de agosto, centenas de ativistas, dentre os quais várias
lideranças da greve dos servidores federais, militantes de agrupamentos
petistas, o PSTU e militantes sem filiação partidária, realizaram uma grande
plenária na cidade do Rio de Janeiro, chamando à constituição de um
movimento por um novo partido de esquerda no Brasil.
Nós, que assinamos esse convite, nos somamos a essa iniciativa.

Precisamos de um novo partido socialista que unifique a esquerda brasileira

A reforma da previdência que o governo fez aprovar na Câmara dos Deputados,
os juros na estratosfera; o aumento do superávit primário, a continuidade do
pagamento das dívidas e das negociações sobre a ALCA, expressam a opção do
governo Lula pela defesa da “ordem“ capitalista estabelecida em nosso país.

As expectativas e esperanças que a maioria do povo ainda deposita nesse
governo tendem a se transformar na mesma decepção e revolta que atingem hoje
o funcionalismo e podem potencializar e radicalizar as lutas sociais em
nosso país.

O desafio da esquerda socialista neste momento é construir uma nova direção
política capaz de preparar conscientemente esse processo de mobilização e de
conduzir essas lutas sociais com o objetivo de realizar uma transformação
socialista em nosso país.

Está em curso um fenômeno de ruptura com o PT, de milhares de militantes que
não aceitam as mudanças vividas por esse partido. É preciso dar um sentido
positivo a essas rupturas, evitando a capitalização desse processo pela
direita, e mesmo que a decepção leve à desmoralização e ao abandono da luta.
A anunciada expulsão dos “radicais“ do PT é parte dessa situação, que abriu
objetivamente um processo de recomposição política.

O momento exige a construção de um movimento unitário por um novo Partido de
esquerda no Brasil, que privilegie as lutas e a ação direta dos
trabalhadores e não as eleições, ainda que não deva desprezar a disputa
política em todos os espaços. Que negue os rumos que permitiram a
degeneração do PT, rejeitando alianças com a classe dominante e tenha como
horizonte e estratégia um governo dos trabalhadores, sem latifundiários,
grandes empresários e banqueiros. Um Partido com ampla democracia interna,
organismos e instâncias onde a base militante debata a política do e tenha
controle sobre a direção e dirigentes públicos.

Um novo Partido de esquerda e socialista, que se constitua como alternativa
para agrupar toda a militância e seja um espaço para unificar e impulsionar
as nossas lutas e as discussões que nos permitam definir democraticamente
qual será a concepção, o programa e o seu funcionamento, sem nenhuma
preocupação com a paternidade da idéia ou o monopólio da iniciativa.

Assinam:

Ademir Moreira dos Santos – servidor da BHTrans e diretor do Sintappi/MG
Aloísio Soares Ferreira – professor da Universidasde Federal de Viçosa/UFV
Ana Lúcia Barbosa Faria – professora, Coordenadora de Estudos Sociais do
CEFET/MG e 1ª Secretária do ANDES-SN
Antônio Carlos “Boi“ – diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Itaúna
Boaventura Mendes da Cruz – trabalhador da saúde, Executiva da CUT/Minas
Gerais
Célio Izidoro Rosa – diretor do Sitraemg
Cícera Vanessa Maia – professora, diretora do SindCefet-MG
Cláudio Nascimento “Jaca“ – diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de
BH/Contagem
Cristina Silva Almeida – professora, diretora do Sind-UTE Rede Municipal de
BH
Dílson de Oliveira Silva – Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de
Pirapora
Edemar Afonso Gonçalves – diretor do Sindicato dos Médicos/MG
Fábia Barbosa Heluy – professora, diretora do SindCefet/MG
Fausto de Camargo Junior – professor do CEFET/MG
Gilberto Antônio Gomes “Giba“ – Coordenador Político do Sindicato dos
Metalúrgicos de BH/Contagem
Gilberto Marques Pereira – professor, diretor do SindCefet/MG e 1º
Tesoureiro Regional Leste do ANDES-SN
Helenita dos Santos – diretora do Sintsprev/MG
Israel Pinheiro – diretor da Federação Nacional dos Metalúrgicos/FENAM
José Roberto – diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem
Josué dos Santos Oliveira – servidor do ICEX/UFMG
Júlio César de Oliveira Andrade – professor da rede estadual de
ensino/Contagem
Juraci Souto – servidor da UFMG, membro do Comando de Greve dos funcionários
Maria de Lourdes Fernandes – Auditora Fiscal do INSS, ex-diretora do
Sindifisp
Maria Rosimary Soares dos Santos – professora da FAE/UFMG e 1ª Secretária da
Regional Leste do ANDES-SN
Mário Aléxis Campos de Azevedo – petroleiro, ex-diretor do Sindipetro/MG
Oraldo Paiva – Coordenador da Federação Sindical e Democrática dos
Metalúrgicos/MG
Raimundo Guimarães “Salu“ – Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de
Várzea da Palma
Rodrigo Vieira de Ávila – Economista, assessor da UNAFISCO
Sebastião Carlos “Cacau“ – bancário, candidato a governador de Minas Gerais
pelo PSTU em 2002
Soraya Menezes – Presidente ALEM – Associação de Lésbicas de MG
Suzana Maria Vati Lima – professora, diretora do SindCefet/MG
Vanessa Portugal Barbosa – professora, Diretora da CUT Regional Grande BH e
do SindUTE/RMBH
Vítor Felicidade Melo – servidor da FACE/UFMG